Mayra e Daniel são promovidos de Dan após medalhas no judô; entenda

·1 minuto de leitura
Mayra e Daniel conquistaram as medalhas do Brasil no judô em Tóquio (FRANCK FIFE/AFP via Getty Images -  JACK GUEZ/AFP via Getty Images)
Mayra e Daniel conquistaram as medalhas do Brasil no judô em Tóquio (FRANCK FIFE/AFP via Getty Images - JACK GUEZ/AFP via Getty Images)

As duas medalhas conquistadas pelo judô do Brasil na Olimpíada de Tóquio renderam o reconhecimento da Confederação Brasileira (CBJ) a Mayra Aguiar e Daniel Cargnin. Nesta terça-feira, a entidade anunciou que ambos os atletas foram promovidos de Dan.

A oficialização foi comunicada por meio das redes sociais da CBJ, que anunciou que Daniel, agora, é terceiro Dan, enquanto Mayra é quinto.

Leia também:

O Dan nada mais é do que uma medição do grau de maestria do judoca. Ele só é concedido a judocas com anos de experiência e serviços prestados.

Os cinco primeiros Dans são dados a atletas que sejam faixa preta. Do sexto ao oitavo, o judoca precisa necessariamente ser faixa coral. O nono e o raríssimo décimo Dan vão apenas para faixas vermelhas.

Para se ter uma ideia da dificuldade de alcançar as promoções neste sistema de avaliação, somente em 2011 a primeira mulher foi congratulada com o décimo Dan em todo mundo: a japonesa Keiko Fukuda, na época com 98 anos, considerada uma das pioneiras do esporte.

Agora detentora do quinto Dan, o último para faixas pretas, Mayra faturou sua terceira medalha olímpica ao ficar com o bronze na categoria até 78kg. Já Daniel conquistou seu primeiro pódio em Jogos ao terminar também com o bronze na categoria até 66kg.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos