Real mostra força, bate Bayern em Munique e se aproxima de 3ª final seguida

EFE

Munique (Alemanha), 25 abr (EFE).- Mesmo sem apresentar um futebol vistoso e até sendo pressionado em muitos momentos da partida, o Real Madrid se aproximou da terceira final consecutiva de Liga dos Campeões nesta quarta-feira ao vencer o Bayern de Munique por 2 a 1 de virada na Allianz Arena.

O Bayern teve maior posse de bola, com 58%, e finalizou mais vezes (9 a 6), o que o levou a abrir o placar no primeiro tempo, com gol de Kimmich. Quando a pressão era toda dos donos da casa, Marcelo "achou" um bonito igual para deixar tudo igual, instantes antes do intervalo. Na segunda etapa, Asensio sacramentou o triunfo do duodecacampeão continental.

Com o resultado, o Real poderá até perder por 1 a 0 na volta, no estádio Santiago Bernabéu, na próxima terça-feira, que mesmo assim se classificará para a final pela terceira vez seguida, a quarta nos últimos cinco anos. O time de Munique terá de vencer por um gol de frente, desde que faça três, ou por uma diferença maior.

Coincidentemente, as duas equipes se enfrentaram na 'Champions' passada, nas quartas de final, e na ida os 'Blancos' também fizeram 2 a 1 na ida na Allianz Arena. O Bayern devolveu o placar no tempo normal, mas caiu na prorrogação, em que sofreu três gols.

A equipe anfitriã, pentacampeã da 'Champions', não conta com o goleiro Neuer desde o ano passado, enquanto o lateral-esquerdo Alaba enfrenta problemas musculares, o que levou o técnico Jupp Heynckes a improvisar o brasileiro Rafinha. Para piorar, Robben e Boateng sentiram ainda no primeiro tempo e tiveram que ser substituídos por Thiago Alcantara e Süle.

Já o Real teve time completo, e a única dúvida era o parceiro de Cristiano Ronaldo no ataque. Vázquez levou a melhor em disputa com Bale, Asensio e Benzema e começou jogando, assim como os dois brasileiros do elenco, o lateral-esquerdo Marcelo e o volante Casemiro.

O Bayern foi superior durante boa parte do primeiro tempo, e um prenúncio disso foi dado com menos de um minuto, quando Lewandowski roubou a bola dentro da área e serviu Müller, que não conseguiu finalizar.

Os donos da casa ficavam mais com a bola, mas cometiam erros que comprometiam a criação de jogadas. Aos 11, Kimmich partiu livre pela ponta direita e pediu para Thiago Alcântara, que errou o passe. Mais tarde, aos 18, o meia da seleção espanhola caprichou e deu para Rafinha, que soltou a bomba de longe. Navas segurou.

Pouco presente no campo de ataque com maior efetividade até então, o Real enfim incomodou aos 23, em tabela entre Carvajal e Vázquez. A devolução do atacante não foi das melhores, mas o lateral chutou mesmo assim e parou na defesa de Ulreich.

Em uma rara brecha dada pela retaguarda do Real, o Bayern fez 1 a 0 com uma transição fulminante. James Rodríguez lançou nas costas da marcação para Kimmich, que disparou pela direita e procurou alguém para quem cruzar, mas acabou optando pela finalização. O goleiro Navas tentou adivinhar o lance e foi vazado, aos 27 minutos.

Após uma queda de intensidade em um primeiro momento, a equipe bávara voltou a sufocar o adversário com duas grandes chances em dois minutos. Aos 40, após o escanteio, Lewandowski desviou e Hummels concluiu para fora. Aos 41, Ribéry passou de calcanhar para Rafinha, que cruzou. Müller emendou de primeira e acertou Sergio Ramos.

Os donos da casa eram melhores, mas foram castigados pelo erros de passe e finalização e sofreram o empate aos 43. Depois de longo lançamento, Carvajal cabeceou para o meio, a defesa falhou no corte e Marcelo acertou bonito chute de primeira no canto esquerdo baixo para deixar tudo igual.

Na volta do intervalo, o Bayern tentou se manter em cima e incomodou aos cinco minutos. Ribéry deixou Casemiro na saudade e passou rasteiro em profundidade para a área procurando Müller, mas o meia-atacante alemão não alcançou.

Seguro no jogo até então, Rafinha comprometeu aos 11, dando um presente para que o atual campeão virasse o placar. O brasileiro atravessou uma bola da esquerda para a direita na intermediária de ataque e proporcionou o contra-ataque. Vázquez acelerou pela direita e deu para Asensio, que bateu por cima na saída de Ulreich para desempatar.

O Bayern ficava cada vez mais à frente, enquanto o Real queria encaixar um contra-ataque. Ribéry deu trabalho duas vezes em sequência, aos 13 e aos 17, mas em ambas Navas defendeu. Pouco depois, aos 21, veio o chuveirinho da esquerda, Müller e Lewandowski se atrapalharam e nenhum deles conseguiu arrematar.

Cristiano Ronaldo quase não tocava na bola e, em uma de suas raras aparições até então, até balançou a rede, mas o lance foi bem anulado. Aos 26 minutos, o português acertou bonito chute cruzado de pé esquerdo e superou Ulreich, mas havia ajeitado com o braço após o lançamento.

Em busca de afirmação para voltar a ser titular, Benzema teve apenas uma oportunidade em todo o duelo, aos 30. O centroavante francês tirou Süle com um lençol, mas Ulreich saiu bem e fechou o ângulo.

Cada vez mais em cima, o hexacampeão alemão não teve organização suficiente para transformar o domínio em jogadas de perigo. Em uma última investida, aos 43 minutos, Tolisso acionou Lewandowski, que ficou de frente para Navas, mas parou no goleiro costarriquenho.


Ficha técnica:.

Bayern de Munique: Ulreich; Kimmich, Boateng (Süle), Hummels e Rafinha; Javi Martínez (Tolisso), James Rodríguez e Müller; Robben (Thiago Alcantara), Ribéry e Lewandowski. Técnico: Jupp Heynckes.

Real Madrid: Navas; Carvajal (Benzema), Varane, Sergio Ramos e Marcelo; Casemiro (Kovacic), Kroos, Modric e Isco (Asensio); Cristiano Ronaldo e Vázquez. Técnico: Zinedine Zidane.

Árbitro: Bjorn Kuipers (Holanda), auxiliado pelos compatriotas Sander van Roekel e Erwin Zeinstra.

Cartões amarelos: Ribéry e Thiago Alcantara (Bayern de Munique); Casemiro (Real Madrid).

Gols: Kimmich (Bayern de Munique); Marcelo e Asensio (Real Madrid).

Estádio: Allianz Arena, em Munique. EFE


Leia também