Em mau momento, Djokovic diz que tênis já não é mais sua prioridade

Após perder o posto de número um do mundo para Andy Murray no fim do ano passado, Novak Djokovic enfrenta dificuldades para retomar seu bom tênis. Eliminado na segunda rodada do Aberto da Austrália para o até então 117º colocado do ranking, o sérvio voltou a decepcionar em Acapulco, nesta última semana, quando caiu nas quartas de final para Nick Kyrgios.

Em entrevista à emissora sérvia RTS TV, o tenista admitiu que não está conseguindo ter o mesmo desempenho em quadra de antes, mas não se mostrou muito incomodado com a questão.

“Minha prioridade número um deixou de ser o tênis desde que Stefan nasceu”, disse Djokovic se referindo ao filho, nascido em outubro de 2014. “Estou em um ponto da minha vida que estou buscando ser o melhor esposo, pai e tenista possível. É difícil, mas não é impossível. Todos tentam dar o melhor de si e comigo não é diferente. O fato é que não posso estar todos os dias 100% com todas as funções que tenho”, completou.

Com uma fortuna em premiações que gira em torno de R$ 338 milhões, Djokovic certamente não tem a menor necessidade de seguir atuando caso não sinta mais desejo de entrar em quadra. Priorizando a família, o tenista sérvio, no entanto, garantiu que ainda sonha em retomar o posto de melhor tenista da atualidade.

“Sigo jogando tênis com muita paixão e amor que tive quando peguei na raquete pela primeira vez. O tênis me fez mais forte e me deu grandes emoções, ainda sinto que devo seguir jogando e alcançar o posto de número um do mundo segue sendo um dos meus objetivos. Quero voltar à essa posição, mas não é minha prioridade”, esclareceu o tenista que possui 12 títulos de Grand Slam.