Massa mostra motivação por nova chance e parceria com jovem Stroll

Mais um ano começa nesta sexta-feira para Felipe Massa na Fórmula 1. Depois de estar aposentado no fim de 2016, o brasileiro continuará sua trajetória na Williams e, na coletiva desta quinta, em Melbourne, o veterano falou sobre suas expectativas para a temporada e sua parceria com o jovem Lance Stroll.

Leia mais: Temporada da F1 tem início sem atual campeão e com mudanças

“Não esperava estar aqui numa quinta. Talvez planejava estar comendo, ficando gordo, qualquer lugar menos aqui na coletiva. As coisas mudam – ou, no caso, não mudam. Estou motivado, preparado para esse desafio. Muita gente nova chegou e continua chegando. Acho que correr por um time que acredito é algo profissional e importante. Me sinto importante”, afirmou Felipe na coletiva com os pilotos.

Vice-campeão da temporada de 2008 pela Ferrari, Felipe não conseguiu mais ter um ano competitivo na Fórmula 1, ainda mais depois de seu grave acidente em 2009 com uma mola que se soltou do carro de Rubens Barrichello que acertou seu capacete.

“Tudo o que ela (Claire Williams, vice-diretora da equipe) disse e que a Williams vem fazendo eu acredito serem corretas. Acho que a real resposta de como estamos vamos ter no domingo, mas também durante o campeonato. Tive alguns bons pressentimentos nos testes em Barcelona e estou animado para ter mais uma temporada competitiva”, acrescentou.

Em 2016, a Williams não conseguiu um bom desempenho e acabou na quinta colocação do campeonato de construtoras, superada, além das três potências Mercedes, Red Bull e Ferrari, pela Force India, que conquistou 35 pontos a mais que a equipe representada por Massa e Bottas.

Com a aposentadoria do campeão Nico Rosberg ao fim da última temporada, a Mercedes anunciou Bottas como o novo companheiro de Lewis Hamilton. Após isso, o jovem inglês Lance Stroll completou o time ao lado de Massa. E o brasileiro está entusiasmado para trabalhar com um piloto de quase metade de sua idade – Felipe tem 35 anos e Stroll, 18.

“É a oportunidade dele, ele pode aprender e vem mostrando que tem muito talento. Eu o conheci quando ele tinha oito anos, um a mais do que meu filho tem agora, e aqui estamos como companheiros. Fico muito feliz em trabalhar com ele e passar tudo o que tenho. Estamos trabalhando juntos pelo time, então precisamos pontuar o máximo que pudermos”, completou o brasileiro.

Na madrugada entre esta sexta-feira e sábado ocorrem os treinos classificatórios para o Grande Prêmio da Austrália, corrida que abre o ano da Fórmula 1 na passagem de sábado para domingo.