Mascote, crianças, instrumentos e ofícios: clássico cheio de polêmicas

O clássico entre Atlético e Cruzeiro já começou. Pelo menos nos bastidores. A partida que terá inicio oficial apenas às 16h (de Brasília), no Mineirão, no sábado, já pega fogo entre diretorias, entre mandos, ofícios e pedidos.

Tudo começou com o Galo. A diretoria alvinegra enviou um ofício a Federação Mineira de Futebol (FMF) pedindo o afastamento do árbitro Ricardo Marques Ribeiro dos jogos. O pedido do clube aconteceu após os erros do juiz no jogo do Cruzeiro contra o Uberlândia, na última segunda-feira, no Parque do Sabiá. Ribeiro errou um lance que prejudicou o clube do interior, ao marcar um pênalti inexistente em Ramon Ábila, no gol de empate celeste.

O pedido, entretanto, não foi acatado. Os problemas entre Galo e Ricardo Marques Ribeiro são antigos. Em 2009, o Atlético fez pedido parecido e foi atendido no ano seguinte. O árbitro voltou a encontrar a camisa listrada em campo somente no Campeonato Mineiro de 2016.

Horas depois o Cruzeiro também esquentou a polêmica. A diretoria da Raposa, mandante do jogo do sábado, vetou a presença do mascote, o Galo Doido, acostumado a sempre entrar com o time nas partidas. Além disso, está proibido também bandeiras e instrumentos dos atleticanos.

A explicação do Cruzeiro é que seu mascote também foi proibido em clássicos anteriores, quando o Atlético era mandante. Já a Polícia Militar explicou que o evento é particular, portanto, a responsabilidade é da Raposa. Os representantes do Galo acreditam que o veto seja equivocado.

O Cruzeiro pretende ainda proibir as crianças atleticanas de entrarem no gramado, como sempre fazem com os jogadores do Galo. O clube ainda fará consultas para saber sobre a possibilidade legal deste veto. Desta forma, apenas os pequenos cruzeirenses poderão entrar no gramado com seus atletas.

Essa decisão foi criticada pelo diretor jurídico do Atlético. “Do discurso à prática há uma longa distância: proibir crianças atleticanas entrar com os jogadores do Galo, um vexame”, postou Lásaro Cândido em seu Twitter Oficial.