Martinelli volta a se destacar em empate do Fluminense e segue invicto como titular

Luiza Sá
·3 minuto de leitura


O Fluminense perdeu a oportunidade de entrar no G4 e garantir a vaga na Libertadores após o empate por 0 a 0 com o Atlético-MG, pela 35ª rodada do Campeonato Brasileiro. O maior destaque do lado tricolor foi a atuação defensiva, segura durante os 90 minutos para impedir as ações de perigo do adversário. Um dos responsáveis por segurar as chegadas do Galo foi justamente o volante Martinelli. Um dos destaques da equipe nessa reta final, ele está invicto como titular.

> ATUAÇÕES: Sistema defensivo vai bem e Fluminense fica no empate diante do Atlético-MG

Martinelli entrou em 10 partidas neste Brasileirão, sendo oito como titular. A única derrota foi na goleada para o Corinthians por 5 a 0, mas o jovem só foi acionado aos 20 minutos do segundo tempo, quando a vantagem no placar já era de três gols. São seis vitórias e três empates (um deles na outra partida do jogador como reserva), além do revés já citado.

Como dito pelo técnico Marcão após a vitória contra o Bahia, na rodada passada, Martinelli "parece que tem 30 anos, tamanha personalidade e leitura de jogo". De acordo com números do "SofaScore", o atleta tem média de 0,4 passe decisivo e duas interceptações por partida, além de uma eficiência de 88%, 61% de lançamentos certeiros e zero erros capitais. Outros números são 67% de dribles bem sucedidos, 44% de disputas de bola vencidas e 48% de duelos no chão ganhos. O jovem levou apenas dois cartões amarelos.

VEJA E SIMULE A TABELA DO BRASILEIRÃO

Contra o Atlético-MG, os números foram expressivos. O meio-campista acertou seis das nove bolas longas que tentou, ganhou quatro de seis duelos pelo chão, teve seis interceptações e três desarmes. Além disso, não cometeu faltas ao longo do confronto, nem sofreu dribles, acertou 70% dos passes, teve um chute para fora e um passe-chave.

O sistema defensivo foi o ponto forte do Fluminense no empate da 35ª rodada. Contra um Atlético-MG que ainda pensa em título, apesar de ter se distanciado dos concorrentes, o Tricolor se fechou bem para impedir qualquer investida de maior perigo. Entretanto, faltou mais confiança e talento para chegar ao ataque. Os momentos de maior inspiração foram apenas nos minutos finais, quando Fernando Pacheco e Michel Araújo mostraram que o Flu poderia ter sonhado com um resultado melhor.

- Eu acho que os meninos trabalharam muito. A formação do Atlético nós já sabíamos. Fizemos isso nos treinos ao longo da semana. Sabemos que eles seguram o Guga e liberaram o Arana. Tem os homens de dentro que toda hora estão pisando na área, sabíamos que teríamos que correr cinco ou seis metros para trás, que em algum momento do segundo tempo eles não iam aguentar... Tivemos que fazer as trocas mais por questões físicas. Em algum momento eles atacam com cinco. Mais uma vez dar os parabéns para nossa linha de zaga. Para os homens da frente, Fred e Nenê. E sobre o Lucca eu acho que nos ajuda muito, tem leitura de jogo e nos ajuda bastante - analisou Marcão.

Com o resultado, o Flu perde a chance de entrar no G4, ficando com 57 pontos na quinta posição, dois atrás do São Paulo (com um jogo a menos) e com quatro de desvantagem para o Galo, em terceiro. O Campeonato Brasileiro entrará em sua 36ª rodada. Na próxima segunda-feira, o Fluminense visita o Ceará no Castelão, às 18h.