Martine Grael e Kahena Kunze velejam até o ouro e são bicampeãs nas Olimpíadas

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
*ARQUIVO* Rio de Janeiro, Rj, BRASIL. 25/06/2021 - Retrato das velejadoras Kahena Kunze  e  Martine Grael, a dupla é favorita a medalha em Tóquio.  ( Foto: Ricardo Borges/Folhapress)
*ARQUIVO* Rio de Janeiro, Rj, BRASIL. 25/06/2021 - Retrato das velejadoras Kahena Kunze e Martine Grael, a dupla é favorita a medalha em Tóquio. ( Foto: Ricardo Borges/Folhapress)

TÓQUIO, JAPÃO (FOLHAPRESS) - Cinco anos depois da Baía de Guanabara, agora foi a vez agora da ilha de Enoshima, no Japão, ser o palco da medalha de ouro das velejadoras Martine Grael e Kahena Kunze nas Olimpíadas.

A dupla brasileira conquistou o bicampeonato olímpico em Tóquio-2020, nesta terça-feira (3), na categoria 49er FX, após a regata final ter sido adiada por um dia por questões meteorológicas.

O lugar mais alto do pódio nas Olimpíadas, em duas edições consecutivas, confirma o favoritismo pré-Jogos e reafirma o que hoje fica ainda mais evidente em águas japonesas: as brasileiras, parceiras desde 2013, tornaram-se um fenômeno da vela nos últimos anos.

A vitória em Enoshima é a 19ª medalha brasileira da vela em Olimpíadas, um dos esportes mais vitoriosos do país no evento esportivo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos