Martine Grael aponta escalada da dupla com Kahena Kunze no ciclo olímpico rumo às Olimpíadas de Paris

·3 min de leitura
Martine e Kahena celebraram a prata no Troféu Princesa Sofia (Foto: Sailing Energy)
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.


Bicampeã olímpica e campeã mundial de vela na classe 49erFX, a brasileira Martine Grael participou da estreia do programa Papo com Atleta, promovido pela Secretaria Especial do Esporte em live no seu canal do Youtube.

> Altos e baixos após doping, luta por Paris-2024 e gratidão ao Flamengo: Rafaela Silva abre o coração

O evento online tinha como tema principal os desafios do esporte de alto rendimento para os atletas atualmente. A live também contou com a participação de Bruno Souza, Secretário Nacional de Esporte de Alto Rendimento e ex-jogador da Seleção Brasileira masculina de handebol.

> Fora de Margaret River, Gabriel Medina exibe rotina de treinos e prepara volta ao surfe em maio

Em sua participação no programa, Martine contou detalhes da preparação no atual ciclo olímpico ao lado de Kahena Kunze, sua dupla nos ouros olímpicos no Rio 2016 e em Tóquio 2020. Ela garante que as duas estão com o “pé no acelerador” rumo aos Jogos de Paris para disputar mais medalhas na classe. A dupla, que era comandada por Javier Torres, agora trabalha com outro espanhol, Pepe Lis.

- Em 2022, a gente trocou de técnico, viu a quantidade de coisas que ainda tinham que melhorar e o negócio foi escalando. Agora, simplesmente estamos está com o pé no acelerador total, participando de todas as etapas de Copa do Mundo e com o calendário preenchido na temporada - contou Martine Grael.

Com grande experiência em grandes competições, a velejadora brasileira ainda falou sobre suas vivências na vela e analisou os desafios encontrados por aqueles que se dedicam à vida de atleta no Brasil.

- A carreira de atleta tem as viradas, os pontos chave que você se torna profissional, a partir do momento que você começa a perceber que tem potencial, você ainda não tem resultados, mas sabe que pode chegar lá - afirmou a bicampeã olímpica.

O Governo Federal oferece o Programa Bolsa Atleta àqueles que se dedicam à vida profissional como esportistas. Atualmente, são mais de 7 mil atletas beneficiados. Martine comentou sobre a importância do Programa em sua carreira.

- Eu acho que no Brasil eu tive a sorte de ter crescido nesse momento que surgiu o Bolsa Atleta, porque foi justamente na minha virada de chave para o profissional. Isso me proporcionou poder treinar como se deve para conseguir resultados em disputas de alto nível.

Martine aproveitou a oportunidade no programa para falar diretamente com os jovens atletas assistindo. Ela deu conselhos importantes para os que planejam seguir na vida de atleta.

- É muito importante definir prioridades e se organizar. Quais são os objetivos a curto, médio e longo prazo. Muita gente acha que a gratificação do esporte vem com o resultado, com o pódio. Mas eu acho que para muitos atletas, com o tempo você percebe que é muito mais sobre alcançar os seus objetivos do que necessariamente ganhar a medalha - finalizou a bicampeã olímpica.

Dupla tem bons resultados recentes

Recentemente, Martine Grael conquistou ao lado de Kahena Kunze a prata na 51ª edição do Troféu Princesa Sofía, em Palma de Maiorca, na Espanha.

As bicampeãs olímpicas chegaram na medal race com chances, mas não conseguiram superar as holandesas Odile Van Aanholt e Annette Duetz, que ficaram com o ouro na classe, somando 51 pontos. A prata foi comemorada pela dupla, que fez 61 pontos, e o bronze ficou para as italianas Jana Germani e Giorgia Bertuzzi, com 69.

O próximo desafio das duas será na França, país sede dos Jogos Olímpicos, com a disputa da Semana Olímpica de Hyères, de 23 a 30 de abril.

A competição em Hyères é sempre usada pelos brasileiros como preparação da vela olímpica anual. Em 2017, por exemplo, Martine Grael e Kahena Kunze venceram o evento francês. Em 2021, Jorge Zarif foi ouro na Finn e Robert Scheidt bronze na Laser.

Segundo a CBVela, o objetivo na tradicional Semana Olímpica de Hyères é seguir avaliando os melhores atletas para definir a Equipe Olímpica de Vela em Paris 2024.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos