Martínez deixa cargo de técnico da Bélgica após eliminação na fase de grupos da Copa

Martínez orienta Eden Hazard antes de substituição

DOHA (Reuters) - O técnico da Bélgica, Roberto Martínez, deixou o cargo nesta quinta-feira após a eliminação de sua seleção na primeira fase da Copa do Mundo, dizendo que havia tomado a decisão de encerrar sua passagem de seis anos há algum tempo e que teria saído mesmo se eles tivessem se sagrado campeões.

"Este foi meu último jogo como técnico da seleção. Isso é emocionante", disse ele. "Não posso continuar. Eu disse adeus aos jogadores e à equipe. Eu ia parar de qualquer maneira --acontecesse o que acontecesse. Mesmo que tivéssemos nos tornado campeões mundiais. Tomei essa decisão antes da Copa do Mundo."

O espanhol encerra uma longa passagem pelo comando da seleção que levou ao primeiro lugar do ranking mundial e ao terceiro lugar na Copa do Mundo da Rússia em 2018.

A Bélgica perdeu várias oportunidades de marcar o gol contra a Croácia que os levaria à fase eliminatória, mas teve que se contentar com um empate em 0 a 0 e o terceiro lugar na chave, atrás de Marrocos e Croácia.

A seleção belga termina assim uma campanha decepcionante, na qual marcou apenas uma vez em três partida e ganhou mais manchetes por disputas fora do campo do que pelo futebol.

"Hoje fomos nós mesmos novamente", disse Martínez. "Nunca é fácil vencer uma partida em uma Copa do Mundo. Na primeira partida contra o Canadá vencemos (1 a 0), mas não fomos nós mesmos. Perdemos merecidamente a segunda partida contra o Marrocos (2 a 0). Não estávamos prontos", avaliou.

"Hoje criamos muitas chances, então não, não tenho arrependimentos. Podemos sair da Copa do Mundo de cabeça erguida."

(Reportagem de Toby Davis e Nick Said)