Marroquinos acusam Fifa de cobrar mais para tirá-los do jogo contra a Espanha

Jogadores e torcedores marroquinos comemoram a classificação após vencerem o Canadá (Foto: Li Gang/Xinhua via Getty Images)
Jogadores e torcedores marroquinos comemoram a classificação após vencerem o Canadá (Foto: Li Gang/Xinhua via Getty Images)

Torcedores marroquinos estão em debate com a Fifa por conta da falta de ingressos para o jogo entre o país e a Espanha, pelas oitavas de final da Copa do Mundo, de acordo com o jornal britânico 'The Sun'. Assim como a Tunísia, Marrocos sempre leva muitos fãs aos estádios, chamando atenção em suas partidas no Catar.

Eles também acusam os chefes da entidade por tirá-los dos jogos, já que os ingressos não estão disponíveis, apesar de uma alta demanda do país. Uma companhia aérea até aumentou os seus voos para Doha para permitir que ainda mais torcedores possam ir.

Leia também:

Os torcedores reclamam que os ingressos simplesmente não estão disponíveis, alegando que os preços do mercado paralelo subiram em 200 libras esterlinas ou mais, o que equivale a pelo menos R$1.200.

Nas redes sociais, a acusação se dá porque “a Fifa não quer que os torcedores marroquinos compareçam”. Essa acusação foi veementemente negada pelos chefes mundiais, mas é um sinal do impacto que Walid Regragui, o treinador de Marrocos, e sua equipe causaram.