Marquinhos Gabriel acima de Neymar? Os craques do futuro segundo o Football Manager 2010

Marquinhos Gabriel melhor que Neymar? (AGIF e Getty Images)
Marquinhos Gabriel melhor que Neymar? (AGIF e Getty Images)

É difícil encontrar objeções quando se diz que o Football Manager é o principal simulador de gerenciamento de um clube de futebol. Quem já o jogou, muito provavelmente entregou ao universo do game uma boa centena de horas da vida – e isso não é por acaso. Um dos pontos mais destacáveis tem a ver com uma criteriosa base de dados. Não é raro que um atleta bem avaliado no virtual vire uma estrela nos gramados reais. Assim, por curiosidade, verificamos os números dos jogadores sub-23 da edição 2010 da franquia.

>> Ouça o 'Segunda Bola', o podcast do Yahoo com Alexandre Praetzel e Jorge Nicola

Não explicaremos aqui como se dá o processo de coleta dos dados, mas sim alguns detalhes que o simulador usa para determinar se um jogador será craque ou não. De fato, há diversos observadores espalhados pelo mundo, responsáveis por abastecer os desenvolvedores. Todavia, por óbvio, a vida real não é baseada em algoritmos, e uma infinidade de nuances constroem um contexto que pode favorecer alguém ao estrelato ou não. Consequentemente, vários atletas não atingem tal nível, o que é elementarmente normal.

Leia também:

Entendendo o sistema

Afunilando a questão: no Football Manager, cada jogador é avaliado em vários atributos e diversas variáveis determinam se ele entregará o que dele se espera. Um dos números principais é o de capacidade potencial, que vai de 0 a 200. A partir de 150, já pode ser considerado como grande promessa. Há uma outra variável, que também vai de 0 a 200, que é a capacidade atual. Ela aumenta conforme você, entre outras coisas, entrega minutos ao atleta e formula treinos diversos para ele. Ou seja, há contexto até no virtual.

Agora partindo para as curiosidades dos dados da edição de 2010 da franquia. Sabe quem era o brasileiro sub-23 melhor avaliado? Alexandre Pato, com potencial 187. Acima dele, somente Agüero, com 189, e Messi, com 195.

O segundo canarinho na lista? Marquinhos Gabriel, com avaliação 179. À frente, inclusive, de estrelas mundiais como Higuaín (178), Ozil (178) e Kroos (177).

O melhor goleiro da edição, então com 17 anos, era Aréola, com potencial 175. Sabe quem, com apenas 16 anos e potencial 164, era tido como a grande promessa para o ataque com essa idade? Lukaku. E há quem não tenha conseguido deslanchar, também. O jovem de avaliação mais alta foi o mexicano Martín Galván (179).

Neymar também estava lá, sendo o brasileiro mais jovem com melhor avaliação (177) – sim, dois pontos atrás de Marquinhos Gabriel. Outros que estavam na lista: o lateral-esquerdo Fábio (177), Carlos Eduardo (175), o lateral-direito Rafael (174), o lateral-esquerdo Marcelo (174), Ganso (173), o volante Tinga (172), Renato Augusto (172) e o zagueiro Breno (170).

Há também outras avaliações interessantes na versão: Pjanić, com 19 anos, tinha potencial 186; Fábregas, com 22 anos, tinha 186; Benzema, 22 anos/186; Ben Arfa, 22 anos/185; Lloris, 23 anos/185; Alexis Sánchez, 21 anos/180; Sakho, 19 anos/184; Wilshere, 17 anos/179; De Bruyne, 18 anos/150; e Roberto Firmino, 18 anos e 125 – potencial razoável para o jogo, mas bastante longe do que ele realmente se tornou.