Marlon revela que trocaria luta por título do UFC por 'gostinho' de nocautear Aldo

AgFight

Em dezembro de 2019, no UFC 245, pode-se dizer que foi iniciada uma nova rivalidade no peso-galo (61 kg) entre dois brasileiros. Se antes Marlon Moraes e José Aldo pregavam um discurso de respeito mútuo, agora a temperatura entre os dois aumentou, principalmente após a vitória do ‘Magic’ por decisão dividida dos jurados – fato que foi bastante repercutido pelos lutadores. Mais de um mês após essa disputa, o atleta natural de Nova Friburgo (RJ) disparou duras críticas ao compatriota e adiantou que não se oporia a um novo combate entre eles, principalmente para tirar qualquer dúvida sobre sua superioridade.

Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag.Fight, Marlon, que ainda não tem data e nem adversário para seu retorno ao Ultimate, revelou que pensa em um duelo contra Petr Yan, atualmente número três da categoria e ainda invicto na franquia, no UFC São Paulo – que está planejado para maio e que, especula-se, pode ser encabeçado por uma luta entre Henry Cejudo e José Aldo pelo título dos galos. Entretanto, após esse possível compromisso, o especialista em muay thai afirmou que aceitaria encarar o ‘Campeão do Povo’, independentemente dos resultados de suas respectivas lutas.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

“Seria uma oportunidade que quando eu tiver, vou aceitar. Falei antes da luta que já estava aberto para uma revanche, mas se ele merecesse. A luta foi apertada e vi que venci. Mas só o UFC entrar em contato, podem me ligar que eu aceito. Mesmo ele vindo de três derrotas (caso perca para Cejudo em possível luta) e mesmo que eu vença a próxima, eu trocaria uma chance de lutar pelo título para poder enfrentá-lo e nocauteá-lo. Depois dessa luta fiquei com gostinho de bater nele de novo e mostrar quem é melhor. Nem precisaria de muito tempo”, afirmou o atleta, antes de ratificar que se decepcionou com as atitudes de Aldo.

“Nunca fomos amigos, mas sempre respeitei ele. A partir do momento que ele mostrou quem é, perdi o respeito. A gente se engana um pouco, ter o cara como ídolo, grande lutador… Mas depois pude ver que tudo que falaram dele é verdade. É um cara que vai pela fama, que quer os títulos, mas ele sempre fala que vai se aposentar e não vai. Diz que vai lutar boxe, que vai sair do MMA, mas acaba que não vai embora. Ele quer o quê? É difícil estar junto de um cara assim. Vamos manter só um contato profissional mesmo”, explicou.

Marlon em ação em confronto diante de José Aldo – Rigel Salazar/ PXImages

E a possível luta entre Cejudo e Aldo também não escapou das críticas de Moraes. O brasileiro acredita que o lutador da equipe Nova União não mereça brigar pelo cinturão, já que atualmente acumula duas derrotas seguidas. De acordo com ele, essa prática do Ultimate pode ser perigosa, já que não leva em conta a esportividade e merecimento.

“O UFC tem no Aldo como um grande nome no Brasil e estão querendo fazer essa luta para muita gente ver. Mas o cara que acompanha mesmo o esporte, aquele que conhece mesmo, sabe que ele não merece estar ali. Acabou de perder mais uma luta. Mas estão achando que vai vender. Acho que o foco principal tinha que ser a esportividade, os melhores estarem lutando pelo título. Mas nesse momento pensam outra coisa”, justificou.

Bem consciente do seu momento dentro da categoria, Marlon sabe que não teria uma nova luta por título tão cedo, já que foi o último atleta a ser superado por Cejudo, em junho de 2019. O brasileiro, que soma cinco vitórias e duas derrotas no UFC, confia que atual campeão pediu essa luta contra Aldo por considerá-lo um rival ‘fácil’ de se bater.

“Não vou ser mentiroso e dizer que eu deveria lutar. Acabei de enfrentar o Cejudo e tem outros caras na frente e precisaria fazer umas outras lutas, mas ele (Aldo) não seria o próximo. Mas é uma decisão deles, cada um faz o que quer. Deve pesar a vontade do Henry também, que está vendo essa luta como uma recompensa grande e um adversário mais fácil. Mas toda luta tem sua dificuldade, vai enfrentar um cara que acredita que possa vencer fácil”, finalizou.

Marlon teve a chance de conquistar o cinturão peso-galo do UFC em junho de 2019, mas acabou derrotado por Henry Cejudo. O brasileiro – atual número um do ranking da divisão – possui 23 vitórias, seis derrotas e um empate em sua carreira no MMA profissional.

Leia também