Marllon fala em dias entediantes na quarentena e afirma que o Cruzeiro é forte candidato ao acesso à Série A

Anderson Gonçalves-Valinor Conteúdo
LANCE!


O fim das férias coletivas dos jogadores do futebol geram uma ansiedade nos atletas e torcedores para saber se a bola volta ou não a rolar. Mas, a pausa forçada também tem feito os jogadores refletirem sobre este momento para pensarem no futuro.

O zagueiro Marllon falou com a reportagem Valinor Conteúdo/LANCE! sobre seu período de quarentena, a chegada de Enderson Moreira e diz que a Raposa é forte sim para ser dona de uma das vagas na elite nacional de 2021. Confira abaixo.


1- Como está a cabeça nesta parada forçada? O que tem feito para se manter em forma e para passar o tempo, sem poder sair de casa?


Os dias tem sido bastante entediantes. Tenho seguido a planilha de treinamentos do Cruzeiro e ficado no meu apartamento com a minha esposa e filho. Mas, mesmo assim cria uma ansiedade natural porque o atleta está acostumado com uma rotina de treinos, alimentação, carga de exercícios, viagens etc. E, tudo isso foi interrompido.

2-Concorda com esse isolamento social imposto para evitar a propagação do coronavírus? E sua família? Está seguindo as recomendações dos especialistas?

Sim. Tem que ficar em casa, mas entendo que têm grupos de pessoas no nosso país que precisam ir para rua para trabalhar por ter um pequeno negócio, por ser autônomo ou trabalho informal. É uma decisão difícil.

3- Em relação ao Cruzeiro e a chegada do Enderson Moreira, qual sua expectativa e se concorda que o time precisa de reforços para ter chances reais de subir para a primeira divisão?

Nunca trabalhei com o Professor Enderson. Mas, só ouvi coisas boas de outros atletas. Um profissional sério e competente. Em relação aos reforços acredito que seja complicado para opinar neste momento. Cheguei no Cruzeiro no início de uma semana e estreia no domingo. Depois o campeonato parou! Não tive tempo para fazer uma avaliação do grupo. O que posso dizer é que é um grupo jovem, com muita vontade e dedicação.

Tenho certeza que vamos brigar pelo acesso. Cruzeiro é um dos grandes do Brasil e tenho muito orgulho de vestir essa camisa no maior desafio da história desse clube. Eu, que já passei pela base do Cruzeiro, sei como o torcedor é exigente, apaixonado e joga junto. É com esse espírito que vamos jogar a Série B e brigar pelo acesso.


4- O calendário do futebol brasileiro vai sofrer com essa pausa forçada. Como vê uma possível adequação do nosso futebol ao calendário europeu?

A mudança para o calendário europeu seria benéfica. Dessa forma, os clubes brasileiros ajustariam as janelas de negociações e evitariam que elencos fossem desmontados durante o mês de julho e agosto, por exemplo. Além disso, os grandes campeonatos param nas datas Fifa. Mais um ganho para os clubes que não perderiam jogadores importantes para defender o seu país.

5- Sobre a redução salarial que o Cruzeiro fará após as férias coletivas. A diretoria conversou com vocês? Houve aceitação dos demais jogadores.? E, se topam reduzir os vencimentos, desde que os salários dos demais funcionários não fossem mexidos?

Como disse anteriormente, cheguei e só pude conviver com o grupo durante uma semana. Isso é um assunto que será resolvido de forma coletiva. Alguns atletas que estão mais tempo no clube estão na linha de frente com a diretoria. Tenho certeza que tudo será resolvido de forma consensual.





















Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também