Marido de palmeirense morta a facadas após final da Libertadores é solto pela Justiça

LANCE!
·1 minuto de leitura


O Tribunal de Justiça de São Paulo determinou, nesta quinta-feira, a soltura de Leonardo Ceschini, réu confesso do assassinato da esposa Érica Fernandes no dia 31 de janeiro, após a final da Libertadores entre Palmeiras e Santos, vencida pelo Alviverde. A informação foi publicada pelo 'Uol'.

O marido corintiano cumpria prisão preventiva, após admitir que entrou em briga corporal com a esposa por causa de futebol. Ele também foi ferido a golpes de faca e precisou ser internado. Para a juíza Giovanna Christina Colares, a soltura se dá por haver "excesso de prazo na prisão cautelar do acusado".

Relembre o caso:

A polícia informou que foi acionada para atendimento da ocorrência, mas quando chegou no local, a vítima já estava morta no chão da cozinha. O caso foi registrado na 33º DP de Pirituba. Leonardo Ceschini foi internado sobre escolta policial no Hospital Mandaqui para tratamento da ferida e foi autuado por homicídio qualificado.

- O motivo de tudo foi (sic) desavenças devido a cada um ser torcedor de um time de futebol diferente, observando a final da Taça Libertadores da América: ela palmeirense, ele corintiano - diz o B.O. A polícia também descartou a versão de que Leonardo tenha tentado tirar a própria vida após esfaquear Érica.

- Após ser atingido, Leonardo conseguiu tomar-lhe a faca e desferir vários golpes que causaram a morte dela, entendendo que ele acabou se excedendo - diz o documento. De acordo com a polícia, Érica conseguiu atacar Leonardo e ele tirou a faca da mão dela, a matando em seguida - conclui o B.O.