Maria Zilda lembra mau hálito de José de Abreu em cena de beijo: "Insuportável"

Giselle de Almeida
·1 minuto de leitura
Em live, Maria Zilda Bethlem "entregou" mau hálito de José de Abreu. Fotos: reprodução/Instagram/@mzbethlemoficial e @josedeabreu
Em live, Maria Zilda Bethlem "entregou" mau hálito de José de Abreu. Fotos: reprodução/Instagram/@mzbethlemoficial e @josedeabreu

As revelações sinceronas de Maria Zilda Bethlem fizeram mais uma “vítima” na live comandada pela atriz na noite da última sexta-feira (30). Em conversa com o colega Murilo Rosa, a atriz entregou que José de Abreu, seu par romântico na novela “Bebê a Bordo” tinha um mau hálito “insuportável”.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Na trama, ela vivia Ângela, personagem apaixonada pelo locutor de rádio Tonhão, interpretado por Abreu. “Ele estava numa fase muito doida. Bebia demais. E ele estava tão compulsivo que tinha umas cenas que a gente ficava amarrado numa árvore, um de costas para o outro. Você sabe que ele obrigava o contrarregra a dar a cachaça na boca dele?”, contou, durante o bate-papo transmitido ao vivo no Instagram.

Leia também:

Segundo ela, as sequências que exigiam intimidade eram difíceis. “Então, cara, quando era cena de beijo… Porra, a pessoa que fuma pra caramba. Sabe?”, lembrou. “A pergunta foi: você já beijou alguém com bafo? Já! Era uma coisa insuportável. Evidentemente, ele bebia. Era [cena] externa. Ele suado. Já tinha o cheiro do suor, mais o do cigarro, mais o da bebida. Era uma coisa insuportável. O Zé era um bicho.”

Durante a live, Maria Zilda ainda comentou que ela e Abreu tiveram um caso em 1978, quando trabalhavam nas filmagens do longa “A Intrusa”. “Eu não sabia que ele era casado [com a atriz Nara Keiserman]. Fomos apresentados, e é aquela coisa de cinema, de locação. Você está lá um mês com a pessoa, acaba tendo um namorico”, disse.

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube