Marí estava com bebê quando foi esfaqueado; ex-zagueiro o salvou

Zagueiro Pablo Marí falou pela primeira vez após ser atacado em um supermercado na Itália.
Zagueiro Pablo Marí falou pela primeira vez após ser atacado em um supermercado na Itália. Foto: (Alessio Morgese/NurPhoto via Getty Images)

O aterrorizante episódio na tarde de ontem, em que o zagueiro do Monza, da Itália, o espanhol Pablo Marí, campeão da Copa Libertadores da América pelo Flamengo no ano de 2019, foi vítima de um ataque em um supermercado dentro de um shopping em Assago, região metropolitana de Milão, é recheado com maiores informações nesta sexta-feira.

Pablo Marí falou pela primeira vez sobre o ataque em que foi vítima na noite da última quinta-feira, quando estava um seu filho no momento em que fora esfaqueado: "Eu estava com o carrinho, com meu menino dentro, e senti uma dor muito forte nas costas. Depois o homem furou outro na garganta. Hoje tive sorte, porque vi uma pessoa morrer na minha frente". Em contato com Adriano Galliani, diretor executivo do Monza, o zagueiro espanhol brincou e disse que está bem: "Em campo na segunda-feira".

Leia também:

Massimo Tarantino, ex-zagueiro com passagens por Napoli e Inter de Milão, tendo atuado, também, pelo Monza, que se aposentou em 2006, foi o homem que intercedeu o homem que, em surto, atacou cinco pessoas no supermercado em Assago. De acordo com a imprensa italiana, Massimo foi uma das primeiras pessoas a ver o atentado e segurou o homem até que a polícia chegasse. Em entrevista aos meios de comunicação da Itália, Tarantino afirmou que: "Eu não fiz nada em particular. Não sou um herói".

Entenda o caso

Um homem de 46 anos de idade, de acordo com informações publicadas por meios de comunicação locais, que tem distúrbios mentais, atacou, com faca, cinco pessoas, ferindo o jogador de futebol. Três das cinco vítimas, segundo a imprensa italiana, foram resgatadas através de um helicóptero por estarem em estado de saúde grave, o zagueiro não é uma destas vítimas. Pablo Marí foi encaminhado, consciente e sem grandes ferimentos, ao Hospital Metropolitano Grande Niguarda. Segundo informações iniciais divulgadas pela polícia italiana, o ataque não foi um ato terrorista, mas, sim, um surto do homem, que pegou uma faca do próprio supermercado para que pudesse ferir os outros clientes da instituição.