Marco Aurélio Cunha alfineta contratação de Rafinha e admite: "São Paulo é antidemocrático"

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Marco Aurélio Cunha, quando trabalhava na CBF. Foto: Ale Cabral/AGIFMarco (Ale Cabral/Agif)
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

O São Paulo FC se tornou antidemocrático, após mais uma mudança do seu estatuto. A definição é de Marco Aurélio Cunha, conselheiro licenciado e ex-diretor executivo de futebol do tricolor. MAC vê o cenário atual com pouca esperança de sucesso e vitórias.

"Não vejo com muita esperança, não, porque a mudança estatutária foi feita para o atual grupo político da direção. O mais absurdo é a prorrogação do mandato dos conselheiros, ferindo qualquer regra democrática. O próprio conselheiro votar em si mesmo é um tapa na cara do sócio que gostaria de ser conselheiro. Mudanças que fizeram o SP ser menor. O clube tem 300 conselheiros e pouco mais de 140 definem a história de 20 milhões de torcedores.O SP é de um grupo de pessoas que dominou o SP. Essa é a minha tristeza, mas não vou desistir, mesmo achando que o SP hoje é o clube mais antidemocrático do Brasil", afirmou, em entrevista exclusiva à Rádio Bandeirantes, com a presença do blog.

Leia também:

Marco Aurélio Cunha também analisou os nomes já contratados pela diretoria.

"Rafinha é um bom jogador e teve seu pico de performance na Alemanha. Depois disso, aquilo é que sobra. Vem para o mercado brasileiro para tentar dar seus últimos chutes. Jogador de 37 anos, com idade avançada para cobrir uma lateral direita. Com todo o respeito a ele, não traria não. SP não traz solução. Alugou um carro, porque sabe que terá que devolver em pouco tempo. Investir muito num lateral de 37 anos, acho que não é uma boa contratação. Peço desculpas ao Rafinha por essa minha opinião. Os outros são jogadores normais, sem grande destaque. Temos que buscar jogadores sem grande risco, com observações de mercado. O SP precisa de competitividade, com nível de contratações de jogadores emergentes e não em fim de carreira", ressaltou.

O SP vai disputar quatro competições, em 2022. MAC mostra preocupação com o modelo existente na cúpula diretiva.

"Estou preocupado. Diminuímos a força que tínhamos. Hoje, você vê times menores eliminando o SP dentro do Morumbi. Parece que entra em campo com menos um. A torcida reclama de jogadores, mas e os responsáveis pela montagem do time não têm culpa? O SP festeja luto, como a saída do Crespo, com foto e abraços. SP teve sua pior campanha dos pontos corridos e estamos vivendo de marketing", concluiu.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos