Com Marcinho e sem Rodrigo Caio, São Paulo faz treino técnico

Depois de golear o Linense por 5 a 0, no último sábado, e garantir presença nas semifinais do Campeonato Paulista, o São Paulo voltou aos trabalhos nesta segunda-feira, no CCT da Barra Funda. O Tricolor se prepara para a enfrentar o Cruzeiro, na próxima quinta-feira, às 21h30 (de Brasília), no Morumbi, pelo jogo de ida da quarta fase da Copa do Brasil.

Recém-contratado por empréstimo junto ao São Bernardo, o atacante Marcinho participou normalmente do treino e até recebeu elogios de Rogério Ceni, que conversou em particular com o jogador ao final dos trabalhos. Por outro lado, os lesionados Bruno, Cueva e Lucas Fernandes não foram ao gramado. Rodrigo Caio, que deixou o jogo de sábado com dores no tornozelo, também não treinou. O zagueiro ficou no Reffis e é dúvida para o duelo contra o Cruzeiro.

Quem também não trabalhou com bola foi o volante Cícero, que apenas correu ao redor do campo. Com os desfalques, Ceni precisou chamar os jogadores da equipe sub-20 Léo Natel e Éder Militão. Gabriel Rodrigues, que foi companheiro de Natel e Militão na base tricolor e atualmente joga no futebol japonês, está no clube tratando de uma lesão.

Na atividade desta segunda, Rogério Ceni priorizou a parte técnica. O comandante tricolor iniciou o treino com um aquecimento em campo reduzido, com o elenco dividido em duas equipes e com presença de três goleiros: Denis, Renan Ribeiro e Lucas Perri. Ainda em recuperação de uma lombalgia, Sidão voltou a se exercitar com bola, mas não treinou com os companheiros.

Após o aquecimento, os jogadores continuaram o treino técnico em campo inteiro. Nesta parte do trabalho, Ceni adicionou mais uma baliza, defendida pelo jovem goleiro Thiago Couto, de apenas 18 anos. O treinador são-paulino pedia movimentação e toques de bola rápido para os atletas.

Na última etapa do treinamento, Rogério voltou a reduzir o campo e trabalhou ainda mais os passes rápidos, limitando o número de toques na bola ora a dois ora a três. Os quatro goleiros seguiram participando do treino, mas desta vez se revezavam em duas traves. No final da atividade, Chavez se machucou ao dar um carrinho para fazer o gol e precisou de atendimento médico, mas rapidamente se levantou e não preocupa.

*Especial para a Gazeta Esportiva