Marcelo Odebrecht chama Arena Corinthians de pepino e reclama de falta de pagamento

Marcelo Odebrecht, ex-presidente e herdeiro do grupo Odebrecht, usou a construção da Arena Corinthians e da Vila do Atletas para exemplificar a sua relação com governo federal, ao dizer em depoimento para a Justiça Eleitoral que a empreiteira não tinha interesse em nenhum dos dois projetos, e ainda que sem eles, não teria Copa, nem Olimpíadas.

"A gente não queria entrar na Vila dos Atletas. Era um pepinaço! Não queria entrar na Copa. Não queria entrar em estádio. A gente só entrou na Arena Corinthians porque o governo tinha prometido financiamento para a realização da Copa do Mundo, aí depois não dão. Aí, eu passo uma grande parte do tempo lutando para conseguir o que eles tinham prometido para a gente entrar", disse Marcelo. 

"Eu era um mendigo, porque eu ia lá (governo) para pedir coisas, na verdade, que eu só entrei porque eles tinham prometido. Sem a Odebrecht, não ia ter Copa, não ia ter Olimpíada. Não ia ter nada", acrescentou.

Arena Corinthians

  Fernando H. Ahuvia/Goal Brasil

Inicialmente, a obra do estádio em Itaquera teria um custo de R$ 200 milhões, e ao final, saiu por R$ 985 milhões, sem considerar os juros dos empréstimos finais. Marcelo também se queixou que mesmo três anos após a Copa, o Corinthians ainda não quitou a sua dívida com a Odebrecht.

"Moral da história eu fiz uma coisa que não interessava para a gente. Hoje, estou com um pepino, porque a gente tem uma garantia com a Caixa e o Corinthians não paga a gente".