Kempes critica seleção argentina: "Não existe sacrifício pelo companheiro"

Buenos Aires, 11 abr (EFE).- Artilheiro da Copa do Mundo de 1978 e campeão pela Argentina, Mario Alberto Kempes fez nesta terça-feira duras críticas à seleção 'albiceleste' atual, que é apenas quinta colocada das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018, a quatro rodadas do final.

"Se estes (os jogadores convocados para os últimos jogos) fazem parte do clube de amigos de Messi, dentro de campo isso não é notável porque falta coordenação, não há cooperação e não existe o sacrifício pelo companheiro", comentou o ex-atacante em entrevista à emissora "Radio Télam".

"Para ter um clube de amigos assim, é preferível ter inimigos porque, que eu saiba, os amigos se ajudam, a não ser que façam isso durante a noite jogando Nintendo, ou o que quer que seja, quando ninguém vê", acrescentou.

Quem definiu a bicampeã mundial como um "clube de amigos" de Messi e Javier Mascherano foi o ex-preparador físico da seleção Carlos Dibos, que afirmou que os dois jogadores do Barcelona influenciam na convocação ou não de alguns atletas.

Kempes, de 62 anos, também falou sobre os compatriotas Jorge Sampaoli e Diego Simeone, que aparecem como candidatos favoritos a assumir o cargo de técnico da Argentina após a demissão de Edgardo Bauza.

"Nem Sampaoli nem Simeone, ou quem que que tragam, vai poder modificar a mente do jogador argentino neste momento na seleção. Como está a seleção, nem Mandrake pode fazer milagres", ironizou o ídolo, que considera a geração atual a melhor do país nos últimos dez anos.

"Estes garotos entrarão para a história como os melhores, mas sem terem ganhado nada", finalizou. EFE