Marcão valoriza recuperação do Fluminense, mas avisa: 'Precisamos achar o mais rápido possível os erros'

Luiza Sá
·3 minuto de leitura


O técnico Marcão valorizou a entrega dos jogadores no empate por 3 a 3 contra o Coritiba, nesta quarta-feira, no Estádio Couto Pereira. O Fluminense chegou a ficar duas vezes atrás do placar, mas buscou a igualdade com gol de Caio Paulista no fim. Além dele, marcaram Fred e o jovem John Kennedy, que fez a estreia pelo time profissional. Em entrevista coletiva após o duelo, o comandante da equipe tricolor reconheceu que a estratégia mudou com os gols do time da casa, mas viu um sentimento positivo após o resultado da 32ª rodada do Brasileirão. Ele ainda exaltou a joia de Xerém.

> ATUAÇÕES: Marcos Felipe falha, John Kennedy brilha, e Fluminense empata com o Coritiba

- Saímos do Rio com pensamento de atacar, agredir o Coritiba. Foi assim que propusemos o jogo. Mas eles fizeram 2 a 0 e tivemos que arriscar ao máximo. Tanto é que no intervalo colocamos o John Kennedy, que vem treinando bem. Optamos pelo Fred mais posicionado e o John, que tem grande movimentação. Entrou bem, correspondeu. É novo, tem muito talento e vai nos ajudar. Lógico que queríamos comemorar um grande resultado, tivemos o volume total do jogo. A equipe do Coritiba finalizou com gols nas chances que tiveram, isso foi freando o ímpeto da nossa equipe. Mesmo depois do empate seguimos a pressão, por pouco não viramos. O sentimento é que buscamos um ponto que fará a diferença a nosso favor lá na frente - analisou.

Marcão, porém, reconheceu que o Fluminense ainda precisa melhorar na criação de jogadas e na fragilidade defensiva. Na próxima rodada, o Tricolor terá o clássico contra o Botafogo, atual lanterna e quase rebaixado no Brasileiro. O jogo será no domingo, às 20h30, em São Januário. O Flu é o sétimo colocado, mas ainda pode cair para oitavo caso o Santos vença.

VEJA E SIMULE A TABELA DO BRASILEIRÃO

- Produzimos bem no jogo passado e neste não. Propusemos bastante, mas sofremos gols que foram momentos ruins. Temos até domingo para ajustar isso na palavra e no treino para equilibrar. Precisamos atacar e sofremos esse tipo de contra-ataque, dando as oportunidades para o adversário. Precisamos sentar e achar o mais rápido possível os erros desse jogo - disse Marcão.

- A equipe do Cortiba trabalha bem esse chute de média e longa distância. Tínhamos avisado. no primeiro lance o menino foi feliz, contra o Vasco já tinham feito esses lances por dentro. Foi a situação que pontuamos e vamos corrigir, nos cobrar. Internamente a gente corrige e treina para que não aconteça mais. No segundo tempo tivemos que abrir o meio, optamos pela formação de duas linhas e levar mais um homem para o lado do Fred. Ele estava sozinho marcando dois. Assim, tomamos conta do jogo, com Yago e Martinelli mais por dentro. Sabíamos que poderíamos sofrer contra ataque, mas tivemos que buscar situações para buscar o ponto que estava distante no primeiro tempo - completou.

O treinador explicou também a decisão por realizar a única mudança com relação ao time que venceu o Sport no último fim de semana. Egídio entrou na vaga de Danilo Barcelos na lateral-esquerda e acabou dando a assistência para o gol de Fred, que colocou 2 a 2 no placar. Marcão afirmou que ainda não sabe se manterá o setor desta forma no clássico.

- Desde que assumimos, o que colocamos é que vamos precisar de todos, como precisamos hoje. Temos que enaltecer a concentração de quem entrou no segundo tempo. Eles ajudaram bastante, contribuíram muito. O Danilo Barcelos, conversamos com a fisiologia e analisamos uma queda física de um tempo para cá. Optamos nesse momento por preservá-lo e recuperá-lo para ele estar saudável. Ainda não decidimos se ele volta ou se o Egídio, que vinha trabalhando bem e hoje foi firme, fica. Vamos analisar. Todos que forem entrar ou sair estão sabendo que é algo justo e pensando no grupo - explicou.