Maradona pede humildade e revela desejo de treinar Argentina na Copa de 2018

Diego Maradona comentou a situação da seleção da Argentina e admitiu, que para se classificar para a Copa do Mundo de 2018 sem Lionel Messi, que cumpriu apenas uma das quatro partidas da suspensão da Fifa, a Albiceleste precisa de um "banho de humildade". O ídolo do país se colocou à disposição para voltar ao comando da equipe.

"Continuo sendo argentino e vou morrer argentino. Não é que eu esteja me oferecendo. Estou dizendo que o técnico dentro de mim não morreu e o cheiro do gramado continua a me atrair tanto como uma mulher bonita", afirmou Maradona em entrevista à rádio Rivadavia. "Estamos f... sem Messi, mas o jogador argentino sempre tem um adicional e confio nisso", acrescentou a lenda argentina.

Lionel Messi Argentina

(Foto: Getty Images)

VEJA TAMBÉM:

Questionado sobre a atual situação da Associação do Futebol Argentino (AFA), Maradona foi duro e garantiu que "é preciso jogar uma granada e começar tudo de novo", para "fazer os corruptos correrem".

"Necessitamos um banho de humildade e transparência para voltarmos a ser uma potência mundial", projetou o treiandor da Argentina entre 2008 e 2010, que levou a seleção até às quartas do Mundial de 2010.

O mais provável para assumir o cargo, Jorge Sampaoli, não é o favorito de Maradona para o cargo que era de Edgardo Bauza, o ex-jogador foi claro: "Não sei. Está muito inflado o caso de Sampaoli. No Chile, ele estava fazendo uma carreira bárbara. No Sevilla, ele não para e me parece que é um dos candidatos, mas não acho que seja o justo".

"Muito se fala da limpeza na seleção argentina, e não acredito que Sampaoli tenha o 'feeling' e o contato com os jogadores como para fazer isso", concluiu ele.