Maradona entra em isolamento por contato com caso suspeito de covid-19

·1 minuto de leitura
Cumprindo as regras de prevenção contra o coronavírus, o técnico Diego Maradona acompanhou o treino do Gimnasia y Esgrima em La Plata, no dia 1º de setembro de 2020 - AFP PHOTO / GIMNASIA Y ESGRIMA LA PLATA / EVA PARDO
Cumprindo as regras de prevenção contra o coronavírus, o técnico Diego Maradona acompanhou o treino do Gimnasia y Esgrima em La Plata, no dia 1º de setembro de 2020 - AFP PHOTO / GIMNASIA Y ESGRIMA LA PLATA / EVA PARDO

A três dias de completar 60 anos, o argentino Diego Maradona entrou em isolamento nesta terça-feira após detectar que um de seus seguranças apresenta sintomas compatíveis com covid-19, segundo o imprensa local. 

Um segurança do ex-jogador de futebol e atual técnico do clube argentino Gimnasia Esgrima La Plata  "acordou com sintomas de covid-19 e entrou em quarentena preventiva até que os exames pertinentes fossem realizados", informou o jornal esportivo Olé. 

“Uma pessoa que teve contato próximo com ele tem sintomas de covid-19, então devido ao contexto e ao Diego ser um paciente de risco, indicamos isolamento”, disse o médico do ex-jogador, Leopoldo Luque, em vídeo divulgado pela assessoria de imprensa de Maradona. 

Até o momento, o campeão mundial em 1986 não apresenta nenhum sintoma da doença, destadou o médico, indicando que os resultados da pessoa que pode estar infectada serão aguardados “para ver os passos a seguir”.

Maradona vai completar 60 anos na sexta-feira, dia que tem como compromisso a estreia do Gimnasia no Campeonato Argentino, evento que deve faltar  por conta das medidas sanitárias. 

De acordo com o jornal Página / 12, Maradona "fará na próxima quinta-feira o teste rápido de PCR para saber como está seu estado de saúde". 

Maradona, considerado um paciente de risco, se protegeu do vírus e não participou do treino de Gimnasia na semana passada.

Quando, semanas atrás, um dos jogadores deu positivo, o treinador foi isolado preventivamente e submetido a exames que deram negativo. 

A Argentina relatou mais de um milhão de casos positivos de covid-19, enquanto as mortes ultrapassam 29.000.

sa/ol/lca