Maracanã precisa de reparos, mas licitação atrasada do Governo impede obras de R$ 50 milhões

Antonio Mota
·4 minuto de leitura

A Odebrecht perdeu a gestão do Maracanã há dois anos. De lá para cá, o Governo do Rio de Janeiro concedeu uma concessão provisória para Flamengo e Fluminense, mas com a promessa de que faria uma licitação posteriormente para ceder o estádio de forma definitiva – o que não aconteceu por demora do próprio Governo. E o Estádio Jornalista Mário Filho precisa de cuidados.

De acordo com informações do jornalista Rodrigo Mattos, do UOL Esporte, o Maracanã tem pontos que estão deteriorando e precisam passar por obras, com um custo de R$ 50 milhões e que só podem se realizadas em uma cessão mais longa do estádio. A princípio, o Governo do Rio tem o objetivo de concluir a licitação do “Maraca” até o final do próximo mês de outubro.

Governo demora para realizar concessão definitiva do Maracanã. | Bruna Prado/Getty Images
Governo demora para realizar concessão definitiva do Maracanã. | Bruna Prado/Getty Images

Em concessão provisória, Flamengo e Fluminense asseguraram que manteriam o Maracanã em bom estado e que pagariam uma outorga de R$ 230 mil mensais ao Estado do Rio. O Rubro-Negro e o Tricolor vêm honrando o acordo, mesmo com a pandemia da Covid-19, e conseguindo cumprir o compromisso com as receitas acumuladas – camarotes, aluguéis e patrocínios.

Atualmente, os gastos para manter o estádio estão em R$ 1,3 milhão por mês, mas já chegaram a R$ 2 milhões mensais antes da pandemia do novo coronavírus. Além disso, nos últimos dois anos, houve recuperação de assentos, refletores, gramados, reformas na parte elétrica e hidráulica e outras demandas para deixar o estádio funcional.

Contudo, apesar das reformas e cuidados, o Maracanã precisa de reparos que demandam um maior investimento, em especial na cobertura do estádio e nos placares eletrônicos. Em 2016 e 2017, a própria Odebrecht chegou a mostrar laudos com os danos no telhado, os quais nunca foram 100% recuperados.

Flamengo e Fluminense querem o Maracanã. | Wagner Meier/Getty Images
Flamengo e Fluminense querem o Maracanã. | Wagner Meier/Getty Images

Ainda conforme Mattos, a cada ano a cobertura do Maracanã perde ‘tempo de vida’ se não forem realizados os reparos. Atualmente, o custo estimado para a realização do conserto é de R$ 32 milhões. A quantia, porém, só pode ser investida em caso de uma “cessão definitiva em que constem esses valores na concorrência”. Além disso, tempos atrás, houve a inclusão desses consertos na concorrência realizada pelo Governo que não deu certo – e foi vencida pela Largardère.

Além disso, há preocupações quanto aos telões eletrônicos do Maracanã, os quais já se tornaram obsoletos. E também há necessidade de um alto investimento em uma troca do gramado. Há outras questões menores que também precisam ser resolvidas.

O Maracanã precisa de reparos. E o custo é alto. | Buda Mendes/Getty Images
O Maracanã precisa de reparos. E o custo é alto. | Buda Mendes/Getty Images

Vale destacar que, no ano passado, o Governo do Rio rejeitou o Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI) – que é, segundo Mattos, “uma espécie de proposta para as regras de concessão que podem ser aceitas pelo Estado ou não” – de Flamengo e Fluminense para a concessão do estádio. Além da dupla, duas empresas também apresentaram PMI e foram rejeitadas, notando que essa movimentação foi em setembro do ano passado.

Sem acordo com nenhuma empresa, em novembro de 2020, o Governo renovou a concessão provisória de Flamengo e Fluminense, a qual vai até o próximo mês de abril. Já no início deste ano, a Casa Civil indicou ao Globo que uma licitação deve ser feita no mês que vem.

CEO do Maracanã, Severiano Braga comentou sobre como a falta de uma concessão definitiva impacta no desgaste do estádio. "Sim afeta. Com o termo de permissão provisória nós não conseguimos fazer todas as melhorias e atualizações necessárias no estádio. A manutenção é feita para garantir o melhor funcionamento do estádio sem interferir na qualidade do serviço", afirmou.

Assessoria da Casa Civil fala sobre concessão do Maracanã. | Bruna Prado/Getty Images
Assessoria da Casa Civil fala sobre concessão do Maracanã. | Bruna Prado/Getty Images

Ao ser questionada pela UOL Esporte, a Assessoria da Casa Civil declarou:

"O Governo do Estado publicou na semana passada, um decreto nomeando as comissões técnica e especial de licitação para iniciar a nova concessão do complexo do Maracanã. O novo edital vai contemplar todas as questões pertinentes à manutenção e melhorias no estádio. A estimativa é que toda a ação seja concluída até o final de outubro deste ano.

Os clubes Flamengo e Fluminense têm uma permissão de uso, em caráter provisório, para o utilização do espaço. Este documento inclui várias responsabilidades, entre elas, a manutenção do complexo.

O Governo mantém ainda uma equipe que realiza a fiscalização da gestão e operação do Maracanã e atua diretamente na interlocução com os dois clubes. Não há relato de descumprimento dos termos. Mensalmente, os clubes prestam conta das responsabilidades assumidas, dentre elas os gastos com manutenção."

Quer saber como se prevenir do coronavírus? #FiqueEmCasa e clique ​aqui.