Maracanã pode passar a se chamar 'Rei Pelé' após votação de deputados do Rio

·2 minuto de leitura
O nome oficial do estádio atualmente é "Jornalista Mário Filho", em homenagem ao lendário cronista esportivo, irmão do dramaturgo e escritor Nelson Rodrigues

Pelé, considerado por muitos o maior jogador da história do futebol, poderá receber uma nova homenagem em breve: a Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) aprovou o nome dele para o estádio do Maracanã.

Os deputados apoiaram na terça-feira um projeto de lei para mudar o nome oficial do estádio para "Edson Arantes do Nascimento - Rei Pelé", nome completo e apelido do tricampeão mundial.

Agora, o governador interino, Cláudio Castro, tem 15 dias para decidir se o torna lei.

O nome oficial do estádio atualmente é "Jornalista Mario Filho", em homenagem ao lendário cronista esportivo brasileiro que ajudou a dar ao futebol uma devoção quase religiosa no país.

De acordo com o projeto de lei, o nome de Mario Filho, irmão do escritor e dramaturgo Nelson Rodrigues, seria preservado para o complexo esportivo que inclui estádio, ginásio, campo de atletismo e parque aquático.

Mas para os brasileiros, e para o resto do mundo, o estádio é conhecido simplesmente pelo nome do bairro carioca que o abriga: Maracanã.

O estádio já foi palco de jogos históricos, incluindo as finais das Copas do Mundo de 1950 e 2014, assim como palco das cerimônias de abertura e encerramento dos Jogos Olímpicos de 2016.

É o estádio onde jogam Fluminense e Flamengo. Mas a história do gigantesco estádio com 78 mil lugares, que no passado tinha capacidade para 200 mil pessoas, também é traumática para os torcedores brasileiros.

Inaugurado em 1950 para a Copa do Mundo, foi o palco da dolorosa derrota do Brasil por 2 a 1 de virada para o Uruguai na final, fato que até hoje é lembrado como "Maracanazo".

Pelé, hoje com 80 anos, se tornou o símbolo da recuperação do orgulho do futebol brasileiro depois disso.

Único jogador da história a vencer três Copas do Mundo (1958, 1962 e 1970), o 'Rei' marcou o gol 1000 no Maracanã em 1969, pelo Santos.

jhb/jm/ma/aam