Maracanã 70 anos: ídolo do Botafogo, Jairzinho fala da relação com o estádio: 'Meu principal palco'

Sergio Santana
LANCE!


O Maracanã, por si só, traz consigo um encanto. É algo praticamente natural: há quem diga que os segundos que a torcida prende a respiração antes de a bola balançar a rede são mágicos. Dos arredores das estruturas ao gramado, o estádio é a personificação do futebol no Brasil e um dos símbolos do esporte no mundo. Nesta terça-feira, a arena completa 70 anos.

O Botafogo é um dos clubes que fazem parte dessa história. Entre os jogadores do Alvinegro que desfilaram no estádio, Jairzinho é um dos mais marcantes: o furacão da Copa do Mundo de 1970 conquistou praticamente tudo que podia em sua carreira, que começou justamente no estádio.

- Comecei a me comunicar com o Maracanã no início de 1963. A diretoria do Botafogo viu que a gente (time de juniores) foi campeão juvenil e jogamos um torneio nos profissionais. O Botafogo jogou contra o Campo Grande e vencemos com gol meu. Esse foi meu início no Maracanã e o que se perdurou por muitos e muitos anos. Bicampeão carioca, campeão do mundo... Ao representar o Rio de Janeiro eu estava vinculado ao Maracanã. A participação maior era sempre o Maracanã, não era Laranjeiras, nem General, nem nada. Lá eu me habituei a jogar no profissional - afirmou, em entrevista exclusiva ao LANCE!.



Jairzinho é o segundo maior artilheiro do Botafogo na história do Maracanã, com 91 gols - atrás apenas de Quarentinha. O furacão é um "filho" do estádio. Um dos maiores jogadores da história do Glorioso, o ex-atacante possui um pouco de Maracanã nas próprias veias.

- Eu sou um discípulo do Maracanã. Lá comecei a jogar e conquistei tudo, com o Botafogo e Brasil. O Maracanã foi o meu principal palco, depois de General Severiano, recordo com muito carinho. Parabenizo a gestão da CBB, na época era assim, que conseguiu manter o Maracanã inteirinho naquela época, e assim está hoje - recordou.

Jairzinho ficou emocionado ao ser perguntado se achava que fazia parte da história do Maracanã. Aos 75 anos, o ex-atacante, com carreira marcante por Botafogo e Seleção Brasileira, comenta as lembranças que possui sobre o estádio com felicidade.

- Bicampeão do torneio início, campeão da Taça Guanabara, bicampeão carioca e diversos títulos justamente vestindo a camisa do Botafogo. Nessa época eu fui o único jogador a conquistar tanta coisa lá (Maracanã). Fico até emocionado por lembrarem de mim em uma data tão especial (aniversário do estádio).







Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também