Marçal lamenta ausência do Botafogo na Libertadores e exalta Jeffinho

Marçal rasgou elogios para Jeffinho (Vitor Silva/Botafogo)


Apesar da ausência na Libertadores, Marçal sente muito orgulho da temporada realizada pelo Botafogo. O lateral relembrou do último jogo do Brasileirão e afirmou que os jogadores sentiram um misto de emoções.

+ Botafogo anuncia acordo com a Reebok: relembre as fornecedoras do clube neste século

- Logo depois do jogo você via todo mundo cabisbaixo, frustrado por não ter conseguido ganhar. Ficamos muito frustrados, porque parece que a gente estava com um pé lá dentro e acabamos tombando para trás novamente. Mas vale a pena analisar a temporada de forma geral. O Botafogo está num ano de mudança e reestruturação. A torcida estava ficando feliz de não estarmos perto da zona de rebaixamento e conseguimos trazer essa esperança para os torcedores e para nós no último jogo. Foi um misto de emoções depois. Temos que estar orgulhosos do que fizemos - declarou Marçal em entrevista ao canal "Resenha com TF".

+ Ao L!, Gabriel Pires revela motivo da escolha pelo Botafogo, analisa as críticas e relembra período na Europa

Ao longo da resenha, Marçal também fez questão de rasgar elogios para Jefffinho. Na opinião do lateral, o atacante é muito inteligente e tem capacidade para atuar no futebol europeu.

- Não demorei para enxergar que ele era craque. É um moleque cheio de personalidade. Logo nos primeiros treinos, ele vinha e passava com certa facilidade pelos jogadores. Então eu logo percebi que ele tinha qualidade. Teve uma vez que jogamos no mesmo time e eu percebi que ele estava fazendo os movimentos certos. Aí eu pensei: "esse moleque entende". Ele com a bola no pé é embaçado, mas eu vi que ele também tinha inteligência de jogo - afirmou Marçal.

- O moleque é craque. Eu joguei 12 anos na Europa com muitos bons jogadores e não lembro de ter pego um ponta com a qualidade dele. Acho que ele tem toda capacidade de jogar na Europa. E não é jogador para Wolverhampton, é um jogador para o Lyon. Ele não tem medo. Pode dar porrada que ele levanta e vai para cima. É inteligente e sabe jogar - completou.