Manipulação de resultados: LaLiga e Getafe se manifestam


A LaLiga reagiu, nesta sexta-feira, a novas informações sobre a "Operação Oikos", que investiga manipulação de resultados no futebol do país europeu ao final da temporada passada.

- Diante das informações que surgiram sobre o Caso Oikos, cujo processo é reservado às partes, conforme o artigo 301 da Lei de Processo Penal, e não têm caráter público, a LaLiga informa que abriu um procedimento interno - resume a nota.

Tal informação é a suposta investigação policial sobre Jorge Molina, atacante do Getafe, que teria feito contato com os chefes da organização criminosa. O nome de Molina teria aparecido numa conversa entre Carlos Aranda, suposto líder do grupo, e Raúl Bravo. Estes últimos foram presos no ano passado.

O Getafe defende seu atacante. Confira a nota:

"O Getafe dá apoio incondicional a Jorge Molina e lamenta a grave violação do direito fundamental da presunção de inocência, ao mesmo tempo em que rechaça e desmente categoricamente qualquer implicação com este assunto e a este tipo de conduta. A difusão da dita notícia infundada prejudica a imagem do nosso jogador, de sua família, e, por consequência, esta entidade. O Getafe condena publicamente este tipo de condutas e não vai tolerar que se manche a reputação e integridade."

Confira outra parte da nota da LaLiga:

"Nosso compromisso com a integridade da competição há várias temporadas é uma das normas de atuação fundamentais por parte da LaLiga, e esse compromisso sempre está presente."













Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também