Mandetta diz que Bolsonaro fez "viagem do corona" aos EUA

Yahoo Notícias
Luiz Henrique Mandetta anunciou sua demissão durante coletiva de imprensa no dia 16 de abril de 2020 (EVARISTO SA/AFP via Getty Images)
Luiz Henrique Mandetta anunciou sua demissão durante coletiva de imprensa no dia 16 de abril de 2020 (EVARISTO SA/AFP via Getty Images)

O ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta deu uma entrevista à CNN americana nesta quarta (14), afirmando que ele e Jair Bolsonaro estavam “claramente em lados opostos” sobre as políticas de controle da pandemia do novo coronavírus, além de dizer que o presidente fez uma “viagem do corona” aos Estados Unidos.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Inicialmente, quando perguntado sobre o seu nível de preocupação com a pandemia no Brasil, por causa do dia com recorde de mortes por Covid-19, Mandetta classificou a situação como bastante preocupante.

Leia também

“Na próxima semana é provável que tenhamos mais de 1000 mortes por dia”, afirmou o ex-ministro. “E a doença está chegando nas partes mais pobres de São Paulo e Rio de Janeiro, com quem estou muito preocupado, então diria que meu nível de preocupação é 10”.

Sobre a sua saída do governo, que Bolsonaro classifica como um “divórcio amigável”, Mandetta tem uma visão muito diferente.

“Nós temos uma visão muito diferente do assunto e era difícil lidar com ele minimizando a situação e dizendo para que as pessoas voltassem a trabalhar, enquanto o Ministério da Saúde conversava com estados, municípios, universidades e pessoas do mundo todo sobre o distanciamento social”, disse. “Então é claro que estávamos em lados opostos e ele tomou sua decisão, mas a história vai mostrar quem estava certo e quem estava errado. Os números falarão por si”.

Perguntado dos exames do presidente, o ex-ministro disse que não tinha conhecimentos dos resultados, apenas das datas em que os testes foram realizados, após o que Mandetta chamou de “viagem do corona”.

“Os exames foram feitos após a viagem para os Estados Unidos, onde jantaram com Trump e o secretário de Comunicação [Fábio Wajngarten] voltou no avião com a doença. Das pessoas que foram com ele, 17 testaram positivo em cerca de 15 dias após a viagem, então essa viagem foi realmente uma ‘viagem do corona’”, afirmou Mandetta.

Siga o Yahoo Notícias no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.

Leia também