Mancini e Reinaldo querem ‘bola pra frente’ após derrota da Chape

Depois de estrear na Libertadores com uma vitória fora de casa, a Chapecoense não conseguiu repetir o bom resultado da primeira rodada e acabou derrotada de virada, em casa, na Arena Condá, pelo Lanús, da Argentina. Para o técnico Wagner Mancini, apesar da frustração, o resultado foi justo pelo apresentado em campo. Tanto o técnico quanto o lateral Reinaldo acreditam que ainda há muito jogo na Libertadores.

“Se a equipe não tivesse tomado o terceiro gol, seria líder. Isso mostra como tudo está muito equilibrado. Todos os times venceram fora de casa, o que não é normal. Vamos brigar muito, acertar o time contra o Nacional. Perdemos para uma equipe que foi melhor e mereceu vencer”, afirmou Mancini.

A Chapecoense saiu na frente com gol de Rossi, mas levou o empate logo na sequência e sucumbiu a pressão argentina, sofrendo mais dois gols em frente a sua torcida. Segundo Mancini, a saída de Moisés Ribeiro complicou a vida do time brasileiro.

“Perdemos o atleta mais rápido e de mais pegada no meio. Era o cara para fazer um corte nesse toque de bola deles. O Osman tem outro estilo”, analisou o treinador da equipe catarinense.

Em um grupo nada fácil, com todas as quatro equipes com três pontos conquistados, a Chape agora enfrentará o Nacional do Uruguai em duas partidas seguidas, a primeira em casa, no dia 18 de abril, e a segunda em Montevidéu, na semana seguinte.

Autor do primeiro gol da equipe na competição continental, na estreia contra o Zulia, o lateral Reinaldo falhou na partida contra o Lanús. O ex-São Paulo, contudo, exaltou o bom futebol apresentado pelos adversários e levantou o ânimo da equipe catarinense.

“Não tem nada perdido, está todo mundo igual. De 100% dos passes acho que eles erraram menos de 5%”, afirmou o jogador, dizendo que a troca de bola do Lanús era feita, principalmente, no setor defensivo.