Malásia não fará mais parte do circuito da F1 a partir de 2018

O piloto britânico Lewis Hamilton, da escuderia Mercedes AMG Petronas, no dia 30 de dezembro de 2016

A Malásia deixará de sediar um Grande Prêmio de Fórmula 1 a partir de 2018, devido ao elevado custo de organização e à diminuição das receitas, confirmaram nesta sexta-feira o primeiro-ministro do país e dirigentes da F1.

"O conselho de ministros decidiu por um fim à organização do Grande Prêmio de Fórmula 1 a partir de 2018, levando em consideração a baixa rentabilidade em relação aos custos para receber a corrida", afirmou o primeiro-ministro da Malásia, Najib Razak, em comunicado divulgado nesta sexta (7).

"Sempre acaba sendo sendo triste dizer adeus a um membro da família da F1", declarou por sua vez o diretor-geral das operações comerciais da F1, Sean Bratches.

"Quero aproveitar esta ocasião para agradecer o circuito internacional de Sepang por sua hospitalidade e seu profissionalismo", completou.

O último GP da Malásia acontecerá em 1º de outubro no circuito de Sepang, ao sul da capital Kuala Lumpur, parte do calendário da F1 desde 1999.

Contudo, a estatal de energia Petronas, patrocinadora do Grande Prêmio, seguirá apoiando a escuderia Mercedes AMG Petronas, informou o primeiro-ministro.