Mais um: Global Athlete defende o adiamento das Olimpíadas


Na manhã domingo, o Global Athlete, grupo internacional liderado por atletas, defendeu o adiamento das Olimpíadas de Tóquio 2020. O pedido aconteceu por meio de um comunicado oficial ao Comitê Olímpico Internacional e ao Comitê Paralímpico Internacional.

Este grupo é comandado por Callun Skinner, ciclista britânico, que conquistou duas medalhas no Rio 2019. Prata na velocidade individual e ouro por equipes. A Olimpíada está programada para acontecer em Tóquio, de 24 de julho a 9 de agosto, com a Paraolimpíada a ser realizada de 25 de agosto a 6 de setembro.

- Em Londres 2012, cerca de 700 entre 10.000 atletas foram diagnosticados como asmáticos, o que os coloca em uma categoria de alto risco. Mesmo se os atletas não tiverem o Covid-19, eles podem ter tosse e não podem competir - disse Callun Skinner, que em seguida completou.

- Se o COI continuar avançando, poderemos ver boicotes. À medida que a pandemia piora e há mais e mais restrições sociais em vigor, acho que a ligação precisa ser feita agora. - afirmou.






O movimento procura contribuir na liderança por mudanças no esporte mundial e defende o equilíbrio coletivo de poder entre atletas e administradores do esporte. De acordo com Skinner, o Global Athlete visa ajudar os atletas a ter uma voz ativa no mundo do esporte e tem como objetivo ser um grupo que defende diretamente o interesse dos desportistas, sobretudo em um momento de crise.

- As pessoas pensam que os olímpicos são super-heróis, mas são pessoas normais e adoecem como todo mundo - , destacou o ciclista.

Confira abaixo o comunicado da Global Athlete na íntegra


Global Athlete apela ao Comitê Olímpico Internacional e ao Comitê Paralímpico Internacional para que adiem os Jogos até que a pandemia global do Covid-19 esteja sob controle

Nós ouvimos centenas de atletas e hoje estamos pedindo para que tanto o Comitê Olímpico Internacional quanto o Comitê Paralímpico Internacional coloquem a segurança e o bem-estar dos atletas em primeiro lugar adiando os Jogos até que a pandemia global do Covid-19 esteja sob controle.

Enquanto o mundo se une para combater o vírus covid-19, o COI e o IPC deveriam fazer o mesmo. Até hoje as duas organizações disseram aos atletas que continuem se preparando para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. Os atletas querem ser parte das ações que garantirão o sucesso dos Jogos, mas diante das restrições internacionais como restrições de público e centros de treinamentos e fronteiras fechados, os atletas não possuem condições adequadas para se prepararem para essa edição dos Jogos e sua saúde e segurança devem vir em primeiro lugar.

O esporte tem o dever de cuidar e proteger seus atletas. Saúde pública deve ser prioridade além da realização de eventos esportivos. Pedir que os atletas continuem suas rotinas de treino normalmente para os Jogos claramente coloca suas saúdes física e mental em risco.

Atletas querem realizar seus sonhos de competir em uma Olimpíada e Paralimpíada. Nós entendemos os desafios e custos de adiar os Jogos e está é uma decisão muito difícil.

Nós todos reconhecemos que os Jogos têm uma capacidade única de reunir países e unir um mundo dividido. É por isso que esperar é tão importante. Com um envolvimento significativo de atletas, uma edição futura dos Jogos poderia atuar como uma celebração, mostrando que todos nós fizemos nossa parte na superação da pandemia de Covid-19.

Por fim, pedimos que as emissoras (NBC) e os patrocinadores adotem o mesmo nível de cuidado com os atletas, apoiando o COI e o IPC com flexibilidade e compreensão durante esse período de incertezas.


















Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também