"Mais forte", Do Bronx destaca mudança em preparação para explicar melhor fase no UFC

Charles do Bronx está sem perder no Ultimate há cinco combates – Felipe Paranhos

Em uma sequência de cinco vitórias, sendo quatro por finalização e uma por nocaute, Charles ‘do Bronx’ vive seu melhor momento dentro do Ultimate e tem uma explicação para isso. Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag.Fight, o peso-leve (70 kg), que no dia 16 de novembro enfrenta Jared Gordon, no UFC São Paulo, credencia esta fase a uma nova preparação para seus combates.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

No Ultimate desde 2010, o brasileiro nunca tinha alcançado uma sequência positiva como está vivendo atualmente. De acordo com o lutador da equipe Chute Boxe, o fato de poder estudar com calma seus adversários aliado ao acréscimo de massa muscular ao seu físico estão lhe ajudando a manter um nível alto nas suas apresentações.

“Estou cada vez melhor. Estou numa fase muito boa, feliz comigo mesmo, com tudo que está acontecendo na minha vida. Não paro de treinar. Acaba uma luta e já me reúno com o Diego Lima e o (Jorge) Macaco para saber o que está faltando. Vimos que faltava pressão, então acrescentamos musculação, estou mais forte. Antigamente não queria saber de nada quando anunciava uma luta. Mas faz algum tempo que já melhorei nesta questão. Estou estudando, cada vez mais dedicado. É tudo uma soma”, ressaltou o lutador de 29 anos.

Com um bom momento como esse, seria natural que o brasileiro tivesse pela frente um adversário do top 10 de sua categoria. Entretanto, não foi isso que aconteceu. Atualmente, o pouco conhecido Jared Gordon nem se encontra na lista dos 15 melhores, ao mesmo tempo em que do Bronx ocupa o 12º posto do ranking oficial do Ultimate.

“Essa questão do ranking a gente não entende. Tem cara que venci e estou atrás. Não sei mesmo (o que precisa para enfrentar um top). Já pedi cara ranqueado, alguém que esteja na minha frente. Meu empresário sempre pede e fica nessa. Mas vou vencer e pedir de novo. Estou pronto para enfrentar qualquer um”, disse o atleta, antes de elogiar seu próximo oponente.

“Na verdade, ninguém estava gostando dessa luta, por ser um cara que não está ranqueado e queria um cara do ranking. Mas ele é duro, anda para frente o tempo todo, tem um bom jiu-jitsu e uma trocação legal. Mas tenho que estar pronto sempre 100% para qualquer luta”.

Em setembro de 2018, Charles do Bronx quebrou o recorde de finalizações no UFC, que pertencia a Royce Gracie. Ao derrotar Christos Giagios, o brasileiro chegou a marca de 11 vitórias desta maneira – após este triunfo, ele já conseguiu mais dois resultados positivos utilizando seu jiu-jitsu. Apesar de ser o dono desta marca expressiva, o brasileiro fez questão de elogiar todos os companheiros que tem a arte suave como carro-chefe na organização.

“Sou o maior finalizador da história do UFC, mas o cara que representa melhor o jiu-jitsu é o Demian Maia. Esse é o cara. Mas agora temos no UFC o Rodolfo (Vieira), Kron (Gracie), ‘Cara de Sapato’, ‘Durinho’, Davi Ramos… É muito lutador que representa bem o jiu-jitsu. A gente fica muito feliz com isso. Quanto mais gente, melhor”, finalizou.

Na carreira, Charles do Bronx tem 27 vitórias e oito derrotas. Já no Ultimate, os números são de 15 triunfos, oito reveses e um No Contest (luta sem resultado).

Leia também