Mais de 33 milhões de brasileiros ainda estão 'presos' no 3G

Redação Finanças
·2 minuto de leitura
Young woman depositing check by phone in the cafe
Do número de acessos pelo 3G, segundo dados da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) mais de 20,6 milhões correspondem a usuários comuns

Com a ausência da cobertura 4G em mais de 220 municípios brasileiros, a tecnologia 3G, que apresenta velocidades inferiores ao 4G, ainda é usada por cerca de 10% da população conectada à internet. Em um universo de 205 milhões de pessoas acessando redes móveis, 33 milhões ainda enfrentam as limitações do 3G, que atinge, em média, apenas 2 megabits por segundo.

A velocidade média do 4G no Brasil é de 18 Mpbs. Já a prometida tecnologia 5G, que tem seu leilão previsto para este ano, pode chegar a uma velocidade média de 210,2 Mpbs. 

Leia também:

Do número de acessos pelo 3G, segundo dados da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) mais de 20,6 milhões correspondem a usuários comuns. O resto vem de pontos de acesso, como maquininhas de cartões de crédito e de pontos de recarga de cartão de transporte público, por exemplo. 

Entre os motivos que fazem tantos brasileiros continuarem usando uma tecnologia defasada estão casos em que os espaços centrais das cidades têm 4G, mas bairros e áreas mais afastadas não contam com a infraestrutura e pessoas que ainda usam aparelhos mais antigos e incompatíveis com o 4G.

Ou ainda casos de quem ainda não trocaram o chip 3G por um mais moderno quando adquiriram um celular que suporta 4G. Entre os itens do edital do leilão de 5G recém-apresentado está a obrigação de levar o 4G a todo o território nacional. 

Segundo o documento, a expectativa oficial é de que a nova tecnologia alcance 100% dos municípios em 2025, considerando as áreas sedes. Para as demais localidades dessas cidades, como distritos e aglomerados rurais, ainda não há previsão.

Nova tecnologia

A Anatel aprovou em 25 de fevereiro o edital que define as regras para o leilão do 5G. Entre outras questões, o texto prevê que a empresa vencedora precisa implementar a inovação até 31 de julho de 2022.

Nesta quarta-feira (10), durante audiência pública na Câmara dos Deputados, o ministro das Comunicações, Fábio Faria, afirmouq que o Brasil deverá ter 20 localidades com acesso ao 5G ainda em 2021. O tipo de 5G será o standalone, ou seja, uma rede que atende somente esse tipo de tecnologia.

O ministro salientou ainda que a Huawei não concorrerá para construir a rede privativa de comunicação que ligará o Congresso, o Supremo Tribunal Federal (STF) e a Procuradoria Geral da República (PGR). A chinesa, segundo o ministro, não preenche os requisitos exigidos para a operação.