Maior jogador holandês, Cruyff completaria 70 anos nesta terça

Se vivo estivesse, o maior jogador holandês de todos os tempos, Johan Cruyff, completaria 70 anos de idade nesta terça-feira. O talento, e tanto, dentro dos gramados, não foi a única característica do jogador: Cruyff revolucionou o futebol com a seleção da Holanda em 1974, apesar do vice-campeonato na Copa do Mundo, e comprovou sua inteligência para o esporte como técnico, no Barcelona, no início dos anos 1990.

O eterno camisa 14 morreu em Barcelona, próximo à família, no dia 24 de março do ano passado, quando não conseguiu vencer um câncer no pulmão. Nos anos 70, liderou o conhecido Carrossel Holandês, que jogava um futebol vanguardista para a época: marcação pressão, versatilidade e trocas de posições constantes, sem deixar de ser vistoso, eram algumas das marcas deste time.

Em clubes, é ídolo no Ajax e no Barcelona, onde colecionou títulos como jogador e treinador. No time de seu país, venceu três vezes seguidas a antiga Copa dos Campeões da Europa e seis vezes o Campeonato Holandês como jogador, entre as décadas de 1960 e 1970. Como técnico, sua primeira experiência no cargo, conquistou uma Recopa Europeia.

Na Catalunha, o sucesso foi inverso. Ganhou apenas um Campeonato Espanhol com a bola nos pés, mas revolucionou o futebol como técnico, onde ficou de 1988 até 1996. Lá, foi o grande responsável por introduzir uma filosofia de jogo que perdura até os dias atuais: toque de bola, pressão em cima do adversário, jogo bonito e equipe bastante ofensiva, trabalhados desde as categorias de base.

Johan Cruyff era fumante e contraiu câncer no pulmão em outubro de 2015. Pouco tempo depois, cerca de cinco meses, de forma tranquila, como divulgou a família à época, não resistiu à enfermidade e morreu, deixando seu nome escrito na história do futebol.