De Magé para o mundo: apoiada por prefeitura de sua cidade, lutadora de Kickboxing conquista pódio em mundial na Itália: 'É apenas o início'

·2 min de leitura


Quando subiu ao tatame pela primeira vez, ainda criança, Maria Eduarda Costa, a "Samurai", queria apenas aprender a se defender dos ataques preconceituosos e do bullying que sofria na escola. Hoje, aos 22 anos, faixa-preta de Karatê e Kickboxing e cursando o 3º período da faculdade de Educação Física, ela é referência para os jovens da Baixada Fluminense.

Medalha de bronze no Campeonato Mundial de Kickboxing organizado pela WAKO (sigla de Associação Mundial das Organizações de Kickboxing, em português), realizado em outubro último, em Veneza, Itália, a lutadora do município de Magé também é campeã sul-americana, bicampeã brasileira, campeã da Copa do Brasil e tetracampeã estadual. Porém, ela afirma que esse é apenas o começo de sua trajetória no esporte.

"Minha história no kickboxing está só no início, é um caminho que eu não enxergo uma linha de chegada, quero sempre melhorar e buscar objetivos maiores. É uma história cheia de sacrifícios, disciplina, dedicação, dores, felicidade, aprendizado e muitas conquistas diárias que eu vou levar pro resto da minha vida!", exalta a multicampeã.

Treinada pelo técnico da seleção brasileira de Kickboxing Daniel Mattos e incentivada pela noiva, a também multicampeã da modalidade Suellen Bitencourt, Maria Eduarda "Samurai” é uma das beneficiadas pelo programa bolsa-atleta da prefeitura de Magé. Segundo ela, os seus alicerces são fundamentais para o desenvolvimento como atleta.

"Ser atleta é difícil. Além da dedicação, você precisa de apoio moral e ajuda financeira, pois o investimento é alto, tem os custos de competições, gasto com a preparação, então a ajuda da prefeitura soma muito. A prefeitura de Magé sempre me ajudou, e essa valorização é muito importante para a conquista de títulos de expressão. Além disso, sou incentivada todos os dias pelos meus companheiros e pela minha noiva, que é a minha âncora", destaca a campeã.

Entre as inspirações de Maria Eduarda estão seus treinadores, companheiros de treinos, os campeões de Kickboxing Vinicius "Dom Bereta" e Vitor Oristanio, a lenda do K-1 Andy Hug, falecido em 2000, e os antigos samurais.

"Eu sou apaixonada pela história dos samurais, me dei esse apelido e pensar que sou uma samurai me motiva todos os dias e em todas as minhas lutas. Acreditem, eu sou uma samurai", afirma, com todas as letras, a atleta da equipe APKB.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos