Maconha e outros potenciais analgésicos serão estudados pela NFL para tratamento de jogadores

·1 minuto de leitura


Nesta terça-feira, o movimento iniciado pela NFL em conjunto com o Sindicato dos Jogadores da liga pode ser um marco histórico para o futebol americano dos Estados Unidos. O fundo de mais de US$ 1 milhão arrecadado será destinado a pesquisa de potenciais analgésicos para o tratamento e recuperação de jogadores. Entre os medicamentos, a maconha será o foco principal do estudo.
+ Confira a classificação das Eliminatórias Sul-Americanas!

Até o término de novembro os resultados das cinco pesquisas serão divulgados. A flexibilização para o uso da maconha nos Estados Unidos influenciou no projeto. Os atletas querem usar a cannabis medicinal como forma para viabilizar tratamentos mais eficazes.

Entretanto, ainda existem questões a serem respondidas sobre o rendimento dos jogadores.

- Quando falamos sobre atletas de elites usando CBD (substância extraída da cannabis), nós queremos nos certificar de que 1º é seguro e 2º é eficaz. Não acho que estamos nesse ponto ainda - afirmou Dr. Allen Sills, chefe médico da NFL.

+ Conheça o novo app do LANCE! e fique por dentro dos resultados e notícias!

A cannabis surge como método para evitar o vício em analgésicos derivados de opioides para tratamento de dores. A NFL já teve atletas que revelaram ser viciados nesse tipo de remédio. Entre eles, Brett Favre, ex-quarterback dos Packers, quase se suicidou pelo vício no analgésico.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos