Médico do Timão diz não se assustar com número de infectados no clube


Após realizar 190 testes de COVID-19 na última semana, o Corinthians detectou um alto número de infectados pela doença. Somente no elenco profissional, 21 dos 28 atletas tiveram contato com o vírus em algum momento, 13 deles se recuperaram e já estão imunizados, e outros oito estão em isolamento, se recuperando. Todos os casos assintomáticos. No entanto, o médico do clube, Dr. Ivan Grava, minimizou a preocupação em relação a essa quantidade.

Em entrevista ao programa "Trocas de Passes", do SporTV, na última terça-feira, Grava disse não ter se assustado com o alto número de infectados, uma vez que isso já era esperado por conta dos exames de "altíssima especificidade" escolhidos para serem feitos no Timão, evitando o risco de falsos negativos.

- O número não assustou porque a gente já sabia que poderia dar um número mais alto, pois optamos em fazer dois tipos de testes, o PCR, que faz coleta com cotonete no nariz, e o sorológico, que mostra se o organismo formou anticorpo contra o vírus. Não quer dizer que todas essas pessoas ficaram doentes. Os 13 jogadores que tiveram contato com o vírus desenvolveram anticorpos. Para a gente foi um resultado esperado pelo tipo de teste, somando esses dois tem uma altíssima especificidade, deixando passar batido o menor número de casos possível - afirmou o médico corintiano.

O Dr. Ivan Grava se mostrou otimista quanto aos resultados, já que quanto maior o número de imunizados, menor o risco de contaminação, apesar de ainda não ser comprovada a duração desses anticorpos no organismo das pessoas. Mesmo assim, ele disse que o alto número de detecções no universo testado pelo Corinthians, até tranquilizou o departamento médico do clube.

- O teste que a gente fez foi exatamente para isso, altíssima sensibilidade para detectar o máximo possível. Se se confirmar que o anticorpo protege e dura um bom tempo, será muito bom para nós. Teoricamente, quanto mais pessoas com anticorpos melhor é contra a disseminação do vírus. Por exemplo, as funções das vacinas são produzir anticorpos nas pessoas para que a doença não chegue. Jogador apresentar anticorpo é bom, mas ainda temos que aguardar a ciência dizer quanto tempo vai durar. Mas é um dado positivo que até tranquilizou um pouco sabendo que muitos jogadores e funcionários já têm anticorpos - concluiu.

O Corinthians voltará a fazer testes nos próximos dias antes da retomada dos treinos em grupo e com bola, prevista para dia 1º de julho, segundo o governo do estado de São Paulo. Enquanto isso, o elenco passa por avaliações físicas no CT Joaquim Grava, após mais de 100 dias sem atividades no local.




Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também