Médico do Santos avalia condições físicas de atletas lesionados

Fábio Lázaro*
LANCE!


O coordenador do Departamento Médico do Santos, Dr. Ricardo Galotti, esclareceu a situação de alguns atletas lesionados. Em entrevista concedida a Santos TV, nesta terça-feira, o doutor citou Alison, Eduardo Sasha, Kaio Jorge e Marinho, e pontuou a situação do volante como a mais delicada no momento. Os atletas citados seguirão fazendo trabalho de recuperação física no CT Rei Pelé durante a paralisação dos treinamentos devido a pandemia de Covid-19.

Além dos jogadores citados, o goleiro Vladimir, com dores nas costelas, e o garoto Renyer, que rompeu o ligamento do joelho direito, passou por cirurgia bem-sucedida, mas não deve jogar mais em 2020, se unirão ao grupo que seguirá realizando trabalhos físicos.


Marinho, que está em fase final de transição de uma entorse no tornozelo esquerdo sofrido no dia 23 de janeiro, estreia da temporada, também precisará se apresentar ao DM. Embora ele tenha feito dois treinamentos com bola, na véspera e antevéspera do clássico contra o São Paulo, no último sábado, pelo Campeonato Paulista, no Morumbi, o jogador precisa passar pela fase final das atividades para ficar em ponto de retorno.

Para Galotti, o capitão do Peixe, Alison, com um trauma no joelho direito, possui uma recuperação mais lenta. A lesão foi ligamentar, mas o camisa cinco não precisará passar por procedimento cirúrgico.

- O Alison vai continuar fazendo fortalecimento, como estava. O Kaio Jorge teve uma entorse no tornozelo, mas já tá evoluindo muito bem, já correu, tá sem dor. O Marinho que já tá até treinando como grupo, chutando bola, mas a parte de recondicionamento final dele é importante fazer. O Sasha com esse trauma lombar, hoje já correu, tá melhor. Então, assim, esses atletas, como ainda estão na fase final, o Alison tende demorar um pouco mais, a gente gostaria que ficassem aqui – disse o médico.

Muito embora o trabalho no Departamento Médico permaneça em meio a suspensão dos treinamentos e atividades administrativas no Santos, a jornada de trabalho será menor, apenas no período da manhã. Nesta terça-feira, a diretoria, por meio de uma portaria, comunicou pausa geral nos próximos 20 dias.

* Sob supervisão de Vinícius Perazzini








Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também