Médico que trabalhou com Neymar no Santos explica lesão do astro e fala sobre recuperação


A lesão sofrida por Neymar na estreia da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 2022 é mais complexa do que o imaginado. Embora o técnico Tite tenha garantido que o camisa 10 disputaria o Mundial do Qatar, o astro do PSG está fora, pelo menos, dos dois próximos jogos do Brasil - contra Suíça e Camarões.


Segundo Rodrigo Lasmar, médico da Seleção Brasileira, Neymar teve uma contusão ligamentar lateral no tornozelo direito, além de um edema ósseo. Mas afinal, o que são esses problemas? O LANCE! conversou com especialistas, que explicaram a lesão do camisa 10.

O médico Carlo Alba, que trabalhou com Neymar nas categorias de base do Santos, comentou sobre a contusão e citou como são as primeiras horas após o diagnóstico.

- Em relação à lesão do Neymar, ele sofreu um trauma direto no tornozelo e fez um mecanismo inversão, que é o principal mecanismo de lesão ligamentar. Você afeta o complexo lateral do tornozelo, tanto o talo fibular anterior, quanto o calcâneo fibular, são os dois ligamentos mais afetados em torção de tornozelo. Como o Dr. Rodrigo Lasmar falou, as primeiras 24 horas são as mais importantes para você ver o prognóstico da lesão, ver se a região ficou inchada, se teve equimose, que é uma lesão mais importante - disse Carlo Alba ao L! antes de completar:

- Sem examinar o atleta, fica difícil dar uma opinião mais fidedigna. O que eu falo assim com experiência é que a conduta do Dr. Rodrigo Lasmar foi correta. Nessa primeira fase são medidas analgésicas para combater o processo inflamatório, crioterapia, que é o gelo, membro elevado, pode usar o robofoot... Enfim, foi feito uma ressonância magnética, que é o exame padrão para entorse de tornozelo.

+ Veja a tabela, os jogos e os grupos da Copa do Mundo de 2022

Alba falou também sobre duas coisas que foram muito faladas após a lesão do camisa 10: inchaço e edema ósseo. O profissional explicou as diferenças e apontou o que são os problemas.

- A questão do inchaço do Neymar... As entorses de tornozelo, geralmente são acompanhadas de edema, ali naquela parte lateral do tornozelo, que é aquela bolinha que ficou. Então o que que significa esse edema na verdade? Significa que é uma lesão de microvasos, porque a lesão ligamentar muitas vezes vem acompanhada de lesões capilares, então extravasa um pouco de sangue na região. Então o inchaço nada mais é do que lesão de microvasos, que é lesão de capsulares, que com o decorrer do tempo podem formar equimose, que é um hematoma, que ele desce com a gravidade. Um hematoma significa uma gravidade maior da lesão - afirmou.

- O edema ósseo nada mais é do que o mecanismo da lesão torcional. Nesse mecanismo de inversão, que foi o caso do Neymar, você acaba machucando um pouco a parte óssea, aí forma um edema na região. Faz parte do mecanismo de lesão da região - finalizou.

+ Neymar lamenta lesão, mas projeta volta na Copa para ajudar a Seleção: 'Vou ter a chance'

Infográfico - Lesão neymar
Infográfico - Lesão neymar

Lesão de Neymar explicada (Foto: Demetrius Almeida / LANCE!)

VEJA OUTRAS RESPOSTAS DE CARLO ALBA

Tratamento e aceleração:
"Lembrando que, em relação ao tratamento, a Copa do Mundo não é um campeonato, é um torneio. Então evidentemente você tem que acelerar todas as etapas de reabilitação possíveis e imagináveis, e a Seleção tem um excelente corpo de fisioterapeutas e também médicos muito bons. Então, você vai utilizar de todos os recursos disponíveis. Fase inicial, crioterapia, anti-inflamatório injetável, anti-inflamatório via oral, você pode utilizar o robofoot dependendo do inchaço do atleta... Tem outros aparelhos que ajudam na drenagem desse edema. Enfim, você vai acelerar todo o processo. Evidentemente você tem esse processo inflamatório para naturalmente você começar a evoluir com o atleta. O atleta também não pode ficar totalmente parado. Então depois você dá uma carga progressiva ao atleta."

Crença no retorno: "Eu conheço muito bem o Neymar, ele é um atleta dedicado e tem ótimo poder de recuperação. Evidentemente o que vai definir é a avaliação diária do atleta, critério de dor, inchaço, dificuldade para caminhar, etc. Tratamento intensivo, ele vai ter que tratar 24 horas por dia. Eu acredito na recuperação do Neymar para as oitavas de final. Eu, particularmente, acredito. Eu acho que ele terá condições de jogar as oitavas de final. Evidentemente, o que vai definir é a avaliação diária do atleta. Eu estou fazendo uma análise sem examinar, avaliação diária, que você vai aumentando a carga conforme a resposta dele. Cada atleta tem limiares de dores diferentes, tem atleta que suporta menos a dor, tem atleta que suporta mais a dor. Isso é muito individual, avaliação diária do atleta e ver a as características de dor do atleta, tem atleta que é mais responsivo. Tempo de reabilitação dessas lesões também é muito variável, né? Vamos dizer de modo empírico? Eu não gosto muito de tempo de evolução. Por exemplo, uma uma entorse de grau um: cerca de cerca de duas semanas, vamos dizer assim, uma entorse grau dois: de quatro a seis semanas, a entorse grau três um pouco mais um pouco mais de tempo, mas esses dados eles variam de atleta para atleta. É muito individualizado."

Resumo: "De forma resumida, ele vai ter que fazer um tratamento intensivo e ver a resposta dele no dia a dia. Isso é fundamental, a questão do prognóstico do atleta é realmente a avaliação diária dele e eu acredito na recuperação. É a Copa do Neymar e tenho certeza que ele e o corpo médico da Seleção vão se empenhar ao máximo para jogar as oitavas de final e eu acredito na recuperação dele. Porque até as oitavas de final você tem dez dias, é suficiente. Eu acho que a lesão dele é grau um ou grau dois, que ele vai recuperar nas oitavas de final. Vai estar 100% em performance? Não dá para a gente saber."

+ Neymar e Danilo lesionados: relembre desfalques do Brasil com a Copa em andamento

Carlo Alba
Carlo Alba

Carlo Alba teve duas passagens pelo Santos e trabalhou com Neymar na base (Foto: Ivan Storti / Santos)

O L! também procurou outros profissionais para falar sobre o tema. Em conversa com o Dr. Nemi Sabeh, ex-coordenador médico Seleção Brasileira de Futebol Feminino, o médico explicou como é o tratamento e disse ainda que uma contusão no tornozelo é mais bem vista do que um problema muscular, por exemplo.

- Tratamento de fisioterapia, que vai de três a quatro períodos diários, ele vai usar imobilizações de compressão e gelo durante todo o processo de intervalo entre as sessões de fisioterapia. E o tratamento medicamentoso, que ajuda também na diminuição do edema. Em relação à perda de performance, descanso, ele vai descansar fazendo tratamento e em sete a dez dias, o atleta não perde performance, tanto que se compara a diminuição da performance por tratamento, então não acredito que ele vá perder fôlego, performance e força - frisou.

- A entorse do tornozelo preocupa menos do que uma lesão muscular, porque as lesões musculares dependem do tempo de cicatrização. Por que a lesão ligamentar do tornozelo é melhor vista? Por que ela tem bons olhos? Primeiro, porque a articulação do tornozelo depende da estabilidade óssea, independe da estabilidade ligamentar, e se ele depende de uma estabilidade óssea, o ligamento é secundário na estabilidade do tornozelo. A única que vai preocupar não é a estabilidade e sim a dor no ligamento que eles tiveram. Tratando a dor e tendo um pouco de cicatrização, acho que eles conseguem jogar normalmente.

+ Daniel Alves ou Militão como titular da Seleção? Redação do LANCE! diz melhor opção após lesão de Danilo

Nemi Sabeh
Nemi Sabeh

Nemi Sabeh junto com a Seleção Brasileira feminina (Foto: Thais Magalhães / CBF)

Nemi Sabeh comentou também sobre o tempo de recuperação em lesões desse tipo e avaliou como o departamento médico da CBF pode acelerar o processo.

- O tempo de recuperação para as lesões ligamentares vai de sete a dez dias até três semanas. Obviamente como tem uma competição, a gente já está supondo que em sete dias ele está bem, que é o tempo mínimo de recuperação. Então dentro de uma competição, a gente tem tempo de recuperá-lo para uma segunda fase, sim. É essa a esperança.

- Para acelerar o processo de recuperação, como é um processo de edema, o ideal é que não se deixe o tornozelo ficar inchado, tirando o edema do tornozelo, tratando esse edema, tirando esse líquido que fica no local, que fica espalhado pela perna, nós temos tecnologias hoje que diminuem esse edema, como botas de compressão associada a gelo, todo o maquinário da fisioterapia, que consegue diminuir o processo inflamatório, isso diminui o edema rapidamente, até o uso de medicação que pode ser ingerida via oral, que pode ajudar nesse processo. A tecnologia hoje é a adesão da tecnologia mesmo, porque as infiltrações locais são proibidas. A partir de 2022 a Wada (Agência Mundial Antidopagem) proibiu o uso de infiltração com corticoide no tornozelo, ou qualquer outro local, é proibido hoje em dia.

Brasil x Servia - Neymar
Brasil x Servia - Neymar

Tornozelo de Neymar ficou muito inchado após vitória sobre a Sérvia (Foto: GIUSEPPE CACACE / AFP)

* Participaram da matéria: Alexandre Guariglia, Fabio Lázaro, João Marcos Santana, Joel Silva e Sergio Santana.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.