Médico de Maradona pede isenção de prisão preventiva, diz site argentino

LANCE!
·1 minuto de leitura

O médico Leopoldo Luque, que vem sendo investigado por possível negligência na morte de Diego Maradona, pediu isenção da prisão preventiva. Os advogados do médico entendem que não há necessidade do encarceramento, já que Luque não pretende fugir. A informação é do site argentino 'Data Clave'.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Esportes no Google News

Ainda segundo o site, ainda não há uma acusação formal contra o médico, mas isso deve acontecer em breve. A justiça pretende investigar se Luque foi negligente nos cuidados com o ídolo argentino, que morreu no dia 25 de novembro e comoveu o povo argentino, que lotou as ruas de Buenos Aires para se despedir de El Pibe.

Leia também:

Queda de Maradona após cirurgia
As investigações da morte de Diego Maradona seguem e uma nova informação pode ser fundamental para o desfecho. Segundo enfermeiras, que cuidavam do craque, Maradona caiu e bateu a cabeça no dia 19, seis dias antes de falecer. Elas relataram ainda que nenhum estudo foi feito para determinar se houve algum dano. As informações são da TV C5N, de Buenos Aires.

Os dois profissionais que cuidaram do ídolo nas últimas 24 hiras, Ricardo (sobrenome não divulgado) e Dahiana Gisela Madrid, passaram as informações às autoridades. Ricardo afirmou que o golpe foi lado direito, lado oposto da ferida da cirurgia.

A informação da queda é fundamental para saber se houve ou não negligência no atendimento a Maradona. A C5N especula que a queda pode ter sido causada por uma falta de firmeza nos joelhos debilitados. A justiça investiga a atuação dos enfermeiros.

Siga o Yahoo Esportes no Instagram, Facebook e Twitter

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos