Mãe e filho vão ao pódio na Escalada de Velocidade em Niterói

Disputa de escalada em Niterói (Divulgação)
Disputa de escalada em Niterói (Divulgação)


Antes de estrear em Olimpíadas, marco que acontecerá estre ano em Tóquio, a Escalada de Velocidade agitou Niterói (RJ), na manhã deste domingo. Sob um sol forte, atletas e o público se reuniram no paredão montado ao lado do Teatro Popular, no tradicional Caminho Niemeyer, que contou com disputas de alto nível. Os títulos ficaram com a russa Elizaveta Ivanova no feminino e o ucraniano Konstantyn Pavlenko no masculino, com destaque também para a dupla brasileira Camila e Lucca Macedo, mãe e filho, com dois bronzes.

Com apenas 17 anos, Lucca destacou a importância de competições com padrão internacional para o crescimento do esporte no Brasil:

- Além de ser muito legal ver um evento desse nível aqui, é motivador. Meu pensamento já é em voltar para casa e treinar mais para bater os gringos (risos). Ainda não sei como vai ser em relação às Olimpíadas, número de vagas e tal, então meu foco são nas competições nacionais. Quando eu comecei não tinha metade desse apoio. Ver todo esse crescimento, a galera evoluindo, os brasileiros, isso motiva a me dedicar ainda mais.

Responsável pela Secretaria Municipal de Esporte e Lazer (SMEL) e Secretaria de Estado de Esporte, Lazer e Juventude, Luiz Carlos Gallo celebrou o sucesso da Escalada de Velocidade e projetou continuidade no trabalho voltado para o esporte.

- A verdade é que Niterói, hoje, está na contramão dessa crise que se instalou no país, e a Secretaria de Esporte e Lazer, com o apoio do prefeito Rodrigo Neves, tem tentado resgatar um passado recente onde Niterói sempre foi uma referência esportiva. Há dois anos, quando tomamos conhecimento que Escalada de Velocidade ia se tornar um esporte olímpico, começamos a trabalhar. Estamos construindo uma vila olímpica municipal e vamos colocar um muro de escalada para que os atletas brasileiros possam competir com os estrangeiros, porque hoje os polos são no Leste Europeu. Ainda vou conversar com o prefeito, mas a ideia é ao invés de fazer um muro de 8 metros, fazer um oficial, com 15 metros, para que fique de estrutura de treino - disse Gallo.









Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também