Márquez vê “ataque cauteloso” como caminho para recuperação

Com apenas 24 anos de idade, o espanhol Marc Márquez é o principal nome da Moto GP na atualidade. Campeão de três das últimas quatro temporadas, o piloto da Honda não vem bem em 2017 e, pela primeira vez na carreira, não pontuou em nenhuma das duas primeiras corridas do ano. Calmo e tranquilo sobre sua situação, Márquez acredita que precisa analisar bem as situações de corrida para dar a volta por cima e se recolocar na briga pelo título mundial.

“A estratégia cada corrida é sair em primeiro atacando até domingo, na corrida, aí ver se posso atacar ou defender. Você tem que tentar entender sua situação, onde se encontra. Se você não ganhar, melhor terminar no pódio, pontuar, do que cair”, afirmou o piloto durante entrevista coletiva realizada em São Paulo nesta terça-feira.

Vencedor das duas primeiras etapas do campeonato, no Catar e na Argentina, o italiano Maverick Viñales lidera a tabela, com 50 pontos, 14 a mais que Valentino Rossi, que subiu ao pódio nos dois compromissos. “Acredito que Viñales será um grande rival, um grande companheiro, porque já ano passado ganhou corridas e esse ano luta pelo campeonato até o final. Acho que Valentino também, mas o importante é querer estar junto a eles”, acrescentou Marc.

Com apenas 13 pontos somados, Márquez não deixa a agressividade de lado para voltar ao topo da tabela, mas sabe que precisa de inteligência no campeonato. “Depois das primeiras rodadas, estou em oitavo, bem atrás. No momento acho que os dois da Yamaha estão muito fortes, tanto Maverick quanto Valentino. Agora precisamos trabalhar para voltar a ser competitivos e, porque não, brigar pela vitória”, analisou

No GP da Argentina, o espanhol fez a pole position e seguia na primeira posição quando caiu sozinho da moto e foi obrigado a abandonar a prova. “Na carreira sempre tem situações boas e mais difíceis. Temos que saber tentar aprender e melhorar. É o início, temos muita temporada, temos que aprender e seguir no dia a dia, sobretudo trabalhar em conjunto com a Honda para melhorar a moto”, pontuou o prodígio pentacampeão mundial (três na Moto GP, um na Moto 2 e um na 125 cc).

O sorridente e jovem piloto da Catalunha, torcedor declarado do Barcelona, citou a perseverança e otimismo como suas principais virtudes e não falou de medos ao subir em uma moto. “Quando tenho que entrar na pista, sempre vou convencido que tudo vai bem, de que tudo está bem, que o trabalho na moto foi bem feito. Na pista tenho que estar 100% concentrado”, completou Márquez.

Agora com um descanso entre o GP da Argentina e a próxima corrida, o GP das Américas, disputado em Austin, Texas, o espanhol irá retornar à Barcelona para ficar com sua família nos próximos dias e, após isso, seguirá viagem para os Estados Unidos. Na corrida norte-americana, Márquez pode iniciar sua retomada, uma vez que nunca perdeu nas quatro vezes que disputou o GP.

*Especial para a Gazeta Esportiva