Mário repudia cântico contra o Fla, mas afirma que Fluminense não pode ser rotulado por esse episódio

Mário Bittencourt quer que tenha rigor também contra outros cânticos ofensivos (Foto: Lucas Merçon/Fluminense)
Mário Bittencourt quer que tenha rigor também contra outros cânticos ofensivos (Foto: Lucas Merçon/Fluminense)


A provocação por parte da torcida do Fluminense ao Flamengo, com o cântico de "time assassino", fez o clube emitir uma nota oficial repudiando tal atitude. No entanto, o presidente Mário Bittencourt também se manifestou, saindo em defesa da instituição. Na avaliação dele, o Tricolor não pode ser rotulado pelos problemas do futebol brasileiro.

- Esse é um comportamento de todas as torcidas. A gente achou que a conduta foi inadequada e foi de uma parte da torcida, mas aqui não vai uma crítica para as pessoas que o fizeram. Mas vai sim a nossa reprovação contra qualquer tipo de cântico nesse sentido. Mas publicamos a nota justamente em um viés de dizer que a gente reprova a atitude, não compactuamos, mas que não admitimos que sejamos rotulados como a torcida do Fluminense. No jogo entre Vasco e Flamengo, a torcida do Vasco cantou a mesma coisa e eu não vi nenhum meio de comunicação comentar e é isso que dizemos na nota. O que a gente não aceita é que toda vez que exista um deslize, o Fluminense seja chamado para ser o rótulo dos problemas do futebol brasileiro.

O presidente tricolor fez questão de relembrar outros cânticos infelizes, tanto do passado, como do presente, pedindo mais rigor quando se tratar de outras torcidas.

- O que nos fez fazer a nota é para que a nossa torcida, se possível, não repita esse tipo de atitude, mas não achando que essa é uma atitude da torcida do Fluminense. A gente tem uma série de casos passados, inclusive na década de 90. O falecimento do Dener foi feito música. Quando o Ricardo Gomes passou mal no Engenhão, quanto teve o AVC, as pessoas, lamentavelmente, estavam dizendo que ele tinha que morrer. Uma série de acontecimentos do passado que eu não vi ninguém questionar. A gente repreende educativamente a nossa torcida, mas não permite esse rótulo no Fluminense jamais e que os veículos de comunicação esteja de olhos e ouvidos atentos com as outras torcidas. Porque a torcida do Flamengo utiliza inúmeros cânticos contra nós. Que as pessoas façam matérias no dia seguinte e que façam a mesma repreensão.

Por fim, Mário Bittencourt contemporizou, afirmando que não houve a intenção de magoar as pessoas envolvidas.

- Na verdade foi uma provocação de arquibancada. Ninguém fala isso com o coração. Eu sou um torcedor de arquibancada, nascido e criado muito perto do Maracanã e por diversas vezes vi cantos como esse. Ninguém fala isso por maldade, ninguém saiu de casa pensando em magoar as pessoas, mas é o futebol e nesses momentos de paixão, até o jogador toma atitudes explosivas. Lógico que a gente tem que tentar, dentro de uma normalidade, para que o futebol não fique chato. É bem reprovável sim, mas alguns outros cânticos que continuam e existem há 50 anos. Acho que são coisas das arquibancadas. Ninguém sai do Maracanã e vai para o psicanalista depois de ouvir a torcida adversário cantar uma música, brincando ou sacaneando. No clássico,ultrapassou o limite da razoabilidade e não podemos deixar de se manifestar e peço para a torcida para que possamos repensar - encerrou Mário Bittencourt.











Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também