Fukushima receberá competições de beisebol e softbol nos Jogos de 2020

Tóquio, 17 mar (EFE).- A província de Fukushima, no Japão, vai sediar as competições de beisebol e softbol dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio 2020, segundo divulgação feita nesta sexta-feira pelo comitê organizador.

A decisão, aprovada pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) após uma reunião de seu comitê executivo, tem como objetivo ajudar na recuperação da região de Tohoku, devastada em 2011 pelo grave terremoto e tsunami do leste do Japão.

"Sediando as competições de beisebol e softbol dos Jogos Olímpicos, Fukushima terá uma grande plataforma para mostrar ao mundo o tamanho de sua recuperação, dez anos depois do desastre", afirmou Yoshiro Mori, presidente do Comitê Organizador de Tóquio 2020, em comunicado.

O terremoto de 9 graus na escala Ritcher e o posterior tsunami, ocorridos no dia 11 de março de 2011, devastaram a costa do nordeste do Japão e deixaram mais de 18 mil mortos e desaparecidos.

A catástrofe também provocou na usina nuclear de Fukushima o pior acidente atômico desde Chernobyl, em 1986.

"Será também uma oportunidade maravilhosa mostrarmos nossa gratidão com aqueles que ajudaram na reconstrução da região", disse Mori.

O estádio Fukushima Azuma, que será reformado antes de 2020, vai acompanhar a sede de Yokohama, como principal local de competições de beisebol e softbol, que retornarão aos Jogos Olímpicos depois da edição de 2008, em Pequim.

Dentro desta estratégia de recuperação das áreas mais pelo terremoto, o COI já aprovou a realização das rodadas preliminares da competição de futebol na província de Miyagi, que também sofreu as consequências do terremoto de 2011.

Além de receber partidas destes esportes, o governo do Japão já propôs que o percurso da tocha olímpica incluem as áreas mais afetadas.

Com a confirmação do estádio Fukushima Azuma, o número de sedes em Tóquio 2020 sobe para 40. EFE