Lyon pede "marcha à ré" na decisão de cancelar a Ligue 1

AFP
O presidente do Lyon, Jean-Michel Aulas, durante coletiva de imprensa, 13 de fevereiro de 2020
O presidente do Lyon, Jean-Michel Aulas, durante coletiva de imprensa, 13 de fevereiro de 2020

O Lyon pediu em um comunicado neste domingo uma "marcha à ré" na decisão de cancelar a Ligue 1 com o objetivo de evitar o que considera um péssimo cenário para o campeonato francês.

"Como garantir que todos os clubes franceses vão poder terminar o ano sem falir? Como lutar com nossos concorrentes estrangeiros, que, em sua grande maioria, sabiamente escolheram esperar para retomar seus campeonatos? Como evitar que a diferença cresça ainda mais entre o futebol francês e todos os outros grandes países da Europa?", questionou o Olympique Lyonnais no comunicado.

Há várias semanas, o presidente do Lyon, Jean-Michel Aulas, luta contra a decisão dos líderes franceses de futebol de cancelar os jogos restantes da temporada devido aos riscos à saúde decorrentes da pandemia de COVID-19.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

A Ligue 1 é, por enquanto, o único dos grandes campeonatos masculinos de futebol que decidiu encerrar a temporada. A Bundesliga alemã, por exemplo, já definiu a data de 16 de maio para retomar o torneio, e a Premier League inglesa e LaLiga espanhola pretendem concluir suas competições, a partir de uma data a ser definida. Mais indecisa está a retomada da Serie A italiana, embora os dirigentes e os clubes estejam trabalhando pelo retorno do futebol.

"Ainda há tempo, até 25 de maio, de recuar e evitar um grande desastre para o campeonato francês", alertou o Lyon, destacando as perdas econômicas que enfraquecerão os clubes franceses e sua perda de competitividade em relação às outras equipes da Europa.

Os detratores do Lyon consideram que o que o clube está procurando acima de tudo é a classificação para uma competição europeia na próxima temporada, pois quando a Ligue 1 foi interrompida, o OL estava em sétimo, posição que manteve com o cancelamento do torneio e, portanto, ficou fora das vagas para os torneios europeus.

Leia também