Luxa conta que chamou Marcos de gordo em 2008 e foi elogiado em 94


Em entrevista publicada no Facebook do Palmeiras, Vanderlei Luxemburgo lembrou de episódios de passagens anteriores pelo clube. O técnico recordou elogio que recebeu de César Luis Menotti, campeão mundial de 1978 pela Argentina, após vencer o seu Boca Juniors por 6 a 1, na Libertadores de 1994, no Palestra Itália. E o treinador contou que, na montagem do time que ganhou o título paulista de 2008, chamou Marcos de gordo e ex-atleta para recuperá-lo.

- Estava jogando o Diego Cavalieri. Peguei o Marcos e dei um esporro como amigo: 'Você é um ex-jogador, olha como está, gordo, lento. Vou te recuperar primeiro como atleta, você vai treinar e virar um atleta. Depois, fará o que faz: agarrar bem' - recordou Luxemburgo, que deu a primeira chance ao ídolo do Verdão naquela temporada em derrota por 3 a 0 para o Guaratinguetá, em partida disputada em São José do Rio Preto, em 6 de fevereiro de 2008.


- Quando ele estava preparado, perdemos por 3 a 0, na volta do Marcos. A pancada comeu porque tirei o Diego, que estava bem. Virei e falei 'Tem um jogador escalado para o próximo jogo: o Marcos'. Aí, acalmou e o Marcos voltou a ser o goleiro fantástico que era, fazendo um contrato de mais cinco anos e ajudando bastante o Palmeiras - completou o treinador.

Outra recordação de Vanderlei Luxemburgo é de mais de 26 anos atrás. Especificamente, na marcante vitória por 6 a 1 sobre o Boca Juniors, em 9 de março de 1994, pela fase de grupos da Libertadores daquela temporada. E o técnico goleado fez questão de enaltecer a atuação do Palmeiras.

- Foi um dos grandes jogos da minha história. Aquele time não errou. Quando acabou, o Menotti, treinador campeão do mundo pela Argentina, veio correndo para cima de mim e falei 'esse cara vai me dar uma porrada'. Mas ele me deu um abraço e falou 'olha, perdi para uma equipe que nunca vi jogar igual' - recordou Luxemburgo.

- Foi um jogo fantástico. O Mazinho fez uma partida maravilhosa. Participei de outras grandes partidas, mas aquela partida marcada como uma das grandes, porque o time não errou. Um time com aquela qualidade e não errar é muito difícil. Marcou a história daquela trajetória, aquele projeto. Marcou como Academia, como mais uma equipe que marcou história dentro do Palmeiras - prosseguiu, lembrando que 1994 teve maratona de partidas no clube.

- Foi quando comecei a falar do tal pijama trainning, que é viajar na antevéspera do jogo e voltar no dia seguinte, com prevenção, recuperação e alimentação. Imagina jogar em Belém e depois voltar para cá, é um negócio complicado - comentou.

Veja o vídeo da entrevista de Luxemburgo publicada no Facebook do Palmeiras:










Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também