Lutadora de MMA imobiliza assediador no MT: “Deveria ter batido mais”

Redação Esportes
·2 minuto de leitura
Maria Ribeiro, a "Mulher Maravilha" do MMA. Foto: Divulgação/Brave
Maria Ribeiro, a "Mulher Maravilha" do MMA. Foto: Divulgação/Brave

Maria Ribeiro, atleta da academia CM System, imobilizou um assediador em Sinop, no Mato Grosso. “Mulher Maravilha”, como é conhecida no MMA, se mostra arrependida “por não ter batido mais” no homem, que agora está em liberdade.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Esportes no Google News

Ela se preparava para entrar no casso com a cunhada e uma amiga quando notou um homem de bicicleta passando por elas com o órgão genital para fora, se masturbando. Ela entrou no carro e perseguiu o indivíduo pelas ruas do bairro Jardim Vitória Régia.

Leia também:

"Ele passou se masturbando. Comecei a xingar de safado, de vagabundo. Entrei no carro e começamos a perseguição até o final do bairro. Desci do carro, ele partiu de bicicleta e fui atrás, correndo, descalça e o encontrei do outro lado. Eu dei dois tapas na cara dele. Fui de soco, de tudo. Dei um cruzado no queixo, e ele caiu. Fui para cima dele. Não tinha como... ele queria me chamar de doida na frente de todo mundo, disse que era trabalhador, mostrou as mãos calejadas”, revelou ao site Combate.com.

"Eu estava transtornada, foi uma coisa que não imaginava nunca passar na vida. Quando ele caiu no chão, pensei: 'Vou quebrar o braço desse vagabundo'. Aí as pessoas começaram a me segurar, falaram que eu perderia a razão e não deixaram. Ele ficou com a boca sangrando. Estou arrependida, pois não bati o tanto que poderia ter batido’, finalizou.

O Boletim de Ocorrência foi realizado pela Polícia Militar do 11º BPM. Apesar do homem ter sido inicialmente detido pelos agentes, Maria Ribeiro se surpreendeu na segunda-feira, quando foi até a Delegacia da Mulher e ficou sabendo que ele já estava livre, embora possa ser enquadrado no crime de importunação sexual.

"Isso me revolta. Se eu soubesse que ia ser solto, teria espancado para ele não conseguir nem andar. Dá nojo, pavor desse tipo de gente, porque é assim que começa. É o primeiro estágio do estupro. Espero que tenha aprendido uma lição, que pegue medo de fazer um 'trem' desses”, desabafou ao Combate.com.

Siga o Yahoo Esportes no Instagram, Facebook e Twitter e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.