Lutador de 19 anos é assassinado no Rio de Janeiro

·2 min de leitura
Vitor sonhava ser lutador do UFC. Foto: Reprodução TV Globo
Vitor sonhava ser lutador do UFC. Foto: Reprodução TV Globo

Um jovem de 19 anos, lutador de boxe e Muai Thay, foi assassinado no Morro da Jaqueira, em São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio de Janeiro.

Segundo familiares de Vitor Reis de Amorim, ele estava em um bar quando policiais militares atiraram e o atingiram pelas costas, nesta terça-feira (28).

Leia também:

O jovem lutador que estava com amigos tentou fugir para se proteger quando ouviu os tiros, mas testemunhas disseram que os policiais disparam contra o jovem.

Os próprios policiais chegaram a socorrer o jovem e o levaram para o pronto socorro de São Gonçalo, mas Vitor já chegou morto ao local.

Indignado, o pai de Vítor reforçou a tese de que não havia troca de tiros no local e falou sobre a carreira do lutador que sonhava chegar ao UFC.

“Isso aqui. Está vendo isso aqui? Ele ganhava lutando. Ele ganhava isso aqui lutando, cara. Ele lutou por isso aqui. Isso aqui não foi ninguém que deu pra ele não. A vida dele foi lutando. A vida dele era no sacrifício. Mas eu tinha certeza que iria vencer. Eu tinha certeza que ele ia vencer. Meu filho nunca foi vagabundo. Meu filho era trabalhador”, disse Vanelci Ferreira.

“Nunca perdeu uma luta, mas perdeu a vida para a polícia. Eu queria saber se esses policiais têm filho. Agora o ano novo aí. Meu filho cheio de sonhos”.

A Polícia Militar se pronunciou e informou que policiais do 7º BPM (São Gonçalo) estavam em patrulhamento na região e foram atacados a tiros. Armas e munição foram apreendidas, mas a polícia não informou deu informações específicas se algo foi encontrado com o jovem assassinado e se ele estava envolvido na troca de tiros.

O porta-voz da Polícia Militar, major Ivan Blaz, disse que a Corregedoria da PM vai investigar o caso e que o rapaz não foi atingido pelas costas conforme relato dos familiares.

"Houve um embate verbal entre os policiais e a família do jovem, mas algumas informações passadas pelo pai do jovem não são verdadeiras. O tiro disparado, segundo o boletim médico, foi no peito. Não houve transfixação, ou seja, não passou pelas costas. Então, o tiro o atingiu de frente", explicou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos