Lula vai ao velório de Pelé na Vila Belmiro

SANTOS, SP, 02.01.2023 - VELÓRIO-PELÉ-SANTOS: Chegada do caixão com o corpo de Pelé chega à Vila Belmiro - Velório do ex-jogador Edson Arantes do Nascimento, o Rei Pelé, realizado no estádio Vila Belmiro, na Baixada Santista, nesta segunda-feira. (Foto: Adriano Vizoni/Folhapress)
SANTOS, SP, 02.01.2023 - VELÓRIO-PELÉ-SANTOS: Chegada do caixão com o corpo de Pelé chega à Vila Belmiro - Velório do ex-jogador Edson Arantes do Nascimento, o Rei Pelé, realizado no estádio Vila Belmiro, na Baixada Santista, nesta segunda-feira. (Foto: Adriano Vizoni/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) vai ao velório do Pelé, que começou nesta segunda-feira (2) no estádio da Vila Belmiro, em Santos.

Segundo interlocutores do chefe do Executivo, ele deve ir na terça, uma vez que a cerimônia do Rei do futebol deve durar 24 horas, até as 10h.

Não há previsão, até o momento, de o vice-presidente Geraldo Alckmin acompanhá-lo na viagem.

A solenidade de posse dos dois, realizada no Congresso Nacional, começou com uma homenagem póstuma a Pelé, morto na última quinta-feira (29).

O presidente do Congresso Nacional, senador Rodrigo Pacheco (PSD-MG), pediu aos presentes que fizessem um minuto de silêncio em respeito ao Rei do futebol.

Nas redes sociais, Lula disse que teve o privilégio de assistir Pelé em campo e lamentou a morte do Rei do Futebol.

"Poucos brasileiros levaram o nome do nosso país tão longe feito ele. Por mais diferente do português que fosse o idioma, os estrangeiros dos quatros cantos do planeta logo davam um jeito de pronunciar a palavra mágica: 'Pelé'", afirmou em mensagem publicada nas redes sociais.

Torcedor do Santos e amigo de Pelé, o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Gilmar Mendes foi a primeira autoridade a chegar para o velório do Rei do futebol, que começa às 10h desta segunda-feira (2) no estádio da Vila Belmiro, em Santos.

Ele lembrou que os dois fizeram parte do governo de Fernando Henrique Cardoso –Mendes foi advogado-geral da União, e Pelé, ministro dos Esportes.

"Fizemos a Lei Pelé e eu não queria me furtar desta última homenagem", afirmou.

Mendes disse ter várias camisas autografadas do Rei em seu gabinete no Supremo e que eles falavam ao telefone.

"Depois do 7 a 1 [derrota do Brasil para a Alemanha], ele me ligou e perguntou o que havia acontecido. Respondi dizendo que não sabia, mas, eu como santista, lembrei que o Santos de Pelé havia perdido por 6 a 2 para o Cruzeiro no mesmo Mineirão. Ele falou que havia esquecido", brincou.

Gilmar lembrou uma frase do ex-presidente americano Barack Obama de que Pelé é insubstituível. "Não sou santista, mas pelesista."